SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 issue10Brazilian environmental sociology: a provisional review author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Ambiente & Sociedade

On-line version ISSN 1809-4422

Abstract

OSTROM, Elinor. Reformulando a teoria sobre o uso comum de recursos. Ambient. soc. [online]. 2002, n.10, pp. 5-25. ISSN 1809-4422.  http://dx.doi.org/10.1590/S1414-753X2002000100002.

O hemisfério ocidental herdou uma rica diversidade de sistemas de recursos naturais governados por acordos institucionais locais e nacionais que, até hoje, não foram bem compreendidos. Entretanto, muitas comunidades locais que possuem um alto grau de autonomia para administrar seus recursos vêm, com o passar dos anos, obtendo muito sucesso. Outras comunidade não agem para prevenir o uso excessivo e a degradação das florestas, dos locais de pesca costeira e de outros recursos naturais. A teoria convencional, empregada para predizer e explicar de que modo os usuários locais vão se relacionar com os recursos que compartilham, faz uma única predição, a de que eles não poderão se liberar da tragédia das comunidades. Segundo esta teoria, não existe uma variação no desempenho dos grupos auto-organizados. Teoricamente, nem existem grupos auto-organizados. Contudo, a evidência empírica mostra que o desempenho das comunidades varia de maneira considerável, e um número cada vez maior de usuários locais têm se auto-organizado e obtido mais sucesso do que a teoria convencional propõe. Apresentamos aqui partes de uma nova teoria.

Keywords : áreas comunais; recursos de uso comum; grupos auto-organizados.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English