SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 issue2Mudanças sociais e gestão ecológica em questão: a experiência de mamirauá author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Ambiente & Sociedade

On-line version ISSN 1809-4422

Abstract

DOMINGUES, Mariana Soares  and  BERMANN, Célio. O arco de desflorestamento na Amazônia: da pecuária à soja. Ambient. soc. [online]. 2012, vol.15, n.2, pp. 1-22. ISSN 1809-4422.  http://dx.doi.org/10.1590/S1414-753X2012000200002.

A produção de soja no Brasil alcançou destaque na última década. Atualmente, o país configura-se como maior exportador e segundo maior produtor de soja no mundo. Porém, a expansão desse cultivo está sendo associada diretamente ao desmatamento da Floresta Amazônica. Sua cultura iniciou-se no sul do país e avançou para a região central, sobre o bioma do cerrado, expandindo-se, gradativamente, ao norte do Brasil, principalmente por meio de latifúndios monocultores e controlados por grandes empresas transnacionais. A área de avanço agrícola ao norte tem substituído o bioma local: a Floresta Amazônica, o que tem preocupado entidades públicas e privadas, em face do desmatamento exagerado e perda da biodiversidade. Este estudo analisa o avanço da cultura da soja no norte do estado de Mato Grosso, no período entre 1984 e 2009, por meio da interpretação de imagens de satélite, e sua relação com o desmatamento da Floresta Amazônica. Como resultado, apresentam-se três mapas de uso do solo da área de estudo. A análise dos mapas permitiu verificar que o desmatamento recente da floresta está sendo promovido pela atividade pecuária, e os solos descampados e erodidos do pasto têm sido usados para a cultura de soja. Ou seja, na área analisada, a soja estabelece-se em áreas antes degradadas pelo gado, e não diretamente sobre as áreas de floresta desmatada.

Keywords : Soja; Pecuária; Floresta Amazônica; Desmatamento.

        · abstract in English | Spanish     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese