SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número4Relação entre Tecnologias da Informação e Comunicação e Criatividade: Revisão da LiteraturaNotificação da Violência: Percepções de Operadores do Direito e Conselheiros Tutelares índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Psicologia: Ciência e Profissão

versão impressa ISSN 1414-9893versão On-line ISSN 1982-3703

Resumo

ALBUQUERQUE, Dayse da Silva; SILVA, Dnyelle Souza  e  KUHNEN, Ariane. Preferências Ambientais e Possibilidades de Restauro Psicológico em Campi Universitários. Psicol. cienc. prof. [online]. 2016, vol.36, n.4, pp.893-906. ISSN 1982-3703.  https://doi.org/10.1590/1982-3703002972015.

No cenário urbano, a distribuição da vegetação e seus aspectos de qualidade ambiental repercutem nos modos de vida das populações em termos de saúde e qualidade de vida. O investimento em espaços verdes, com ampla variedade de elementos naturais, pode promover a redução dos níveis de estresse e fadiga mental. Em ambientes universitários, por exemplo, os estudantes sentem-se constantemente fatigados devido às exigências para um bom desempenho. Considerando pesquisas na área de Psicologia Ambiental que têm constatado os benefícios para a saúde provenientes do contato com espaços verdes, esse estudo buscou identificar lugares escolhidos por estudantes para descanso em dois campi universitários brasileiros. Explorou ainda elementos de preferências e percepções ambientais associadas à capacidade restaurativa desses espaços. A entrevista, associada a uma variação da técnica de ambiente fotografado, possibilitou a análise das características desses espaços. As escolhas citadas pelos 50 alunos de cada campus direcionaram a discussão. Os discursos dos discentes revelaram possibilidades de restauro psicológico no ambiente universitário. Em ambos os campi, o contato com espaços verdes abertos pareceu estar associado a momentos de interação entre pessoas e o ambiente, de maneira mais ativa ou mais passiva. No campus 2, as interações com os espaços verdes foram predominantemente ativas, apesar do campus 1 ter área de vegetação mais extensa. Dessa forma, compreende-se que a vivência restauradora se dá na relação pessoa-ambiente e é permeada por sutilezas que perpassam distintas realidades sociais.

Palavras-chave : Psicologia Ambiental; Ambiente Universitário; Espaços Verdes; Preferências.

        · resumo em Inglês | Espanhol     · texto em Português     · Português ( pdf )