SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número1"Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!": a décalage como ferramenta para compreensão de práticas corporais e alimentares índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Nutrição

versão impressa ISSN 1415-5273

Resumo

FERREIRA, Francisco Romão; PRADO, Shirley Donizete; CARVALHO, Maria Claudia da Veiga Soares  e  KRAEMER, Fabiana Bom. Biopoder e biopolítca no campo da Alimentação e Nutrição. Rev. Nutr. [online]. 2015, vol.28, n.1, pp.109-119. ISSN 1415-5273.  https://doi.org/10.1590/1415-52732015000100010.

Propõe-se uma discussão conceitual acerca dos discursos dos atores sociais do campo da Alimentação e Nutrição ao apresentar conflitos existentes, estratégias discursivas em jogo e lutas por legitimidade no espaço acadêmico. O eixo principal da argumentação se dá a partir do conceito de biopoder, de Michel Foucault, que apresenta a medicina como um saber-poder que incide, ao mesmo tempo, sobre o corpo e a população, sobre o organismo e os processos biológicos, produzindo resultados disciplinares e efeitos regulamentadores disseminados por toda a sociedade. A partir desse conceito, argumenta-se que os discursos produzidos no campo colocam, frente a frente, interesses hegemônicos e contra-hegemônicos, disputas políticas travestidas de discussões epistemológicas "abstratas", estratégias de sedução, normatização e medicalização da vida. Tais discursos traduzem instâncias de poder em confronto, interesses econômicos, conflitos estruturais, embates políticos. São apresentados novos elementos para pensar a produção de conhecimento para profissionais da Nutrição e da percepção do ato alimentar para além de parâmetros nutricionais, biológicos, biomédicos e epistemológicos que, na sua essência, são nitidamente políticos, pois traduzem tensões entre estruturas conceituais que também operam no interior do campo. Postula-se que não há saúde ou nutrição em abstrato, como campos neutros, desconectados da realidade; essas dimensões fazem parte da vida material, concreta e estão carregadas de valores simbólicos, culturais e subjetivos. Pensar a Nutrição apenas em seus aspectos nutricionais é empobrecê-la e enfraquecê-la, e essa discussão, que parece ser "meramente conceitual", traz à tona questões importantes que precisam ser discutidas pelos profissionais do campo da Alimentação e Nutrição.

Palavras-chave : Alimentação; Ciências Humanas; Ciências da Nutrição; Pesquisa.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )