SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número2Fatores psicossociais e atividade física como preditores do consumo de frutas, legumes e verduras em estudantes universitáriosIndicadores antropométricos e marcadores de função renal em adultos e idosos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista de Nutrição

versão impressa ISSN 1415-5273versão On-line ISSN 1678-9865

Resumo

RODRIGUES, Paulo Rogério Melo et al. Múltiplos comportamentos de risco para doenças não transmissíveis em adolescentes e fatores associados. Rev. Nutr. [online]. 2016, vol.29, n.2, pp.185-197. ISSN 1415-5273.  https://doi.org/10.1590/1678-98652016000200004.

Objetivo:

Estimar a prevalência de comportamentos de risco para doenças não transmissíveis e analisar seus fatores associados em adolescentes.

Métodos:

Estudo transversal de base escolar realizado em 2008 com 1.139 estudantes do ensino médio, entre 14 e 19 anos de idade, de escolas públicas e privadas de Cuiabá, Mato Grosso. Aplicou-se questionário autoadministrado, incluindo Questionário de Frequência Alimentar. Avaliou-se a prevalência de tabagismo, experimentação de álcool, inatividade física, padrão de refeições e ingestão excessiva de gordura saturada e sódio. Foram analisadas as associações entre os comportamentos de risco e variáveis socioeconômicas, status de peso e autopercepção do estado de saúde.

Resultados:

Os comportamentos de risco mais comuns foram: ingestão excessiva de sódio (88%), padrão de refeições insatisfatório (72%), consumo excessivo de gordura saturada (39%) e experimentação de álcool (39%). Quatro em cada 10 adolescentes foram expostos a dois comportamentos de risco simultaneamente. Entre os meninos, os principais fatores associados aos comportamentos de risco foram: tipo de escola, turno de aula, escolaridade do chefe da família, status de peso e autopercepção do estado de saúde. Entre as meninas, a idade, o tipo de escola, o turno de estudo e a escolaridade do chefe da família foram os principais fatores associados aos comportamentos de risco.

Conclusão:

A prevalência de exposição a comportamentos de risco para doenças não transmissíveis foi elevada, destacando a presença simultânea de tabagismo e experimentação de bebidas alcoólicas. Deve ser dada especial atenção às atividades educativas, visando minimizar os efeitos da ocorrência simultânea de múltiplos comportamentos de risco.

Palavras-chave : Adolescentes; Comportamentos do adolescente; Estilo de vida; Assunção de riscos; Classe social.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )