SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 número6Avaliação transversal e vertical da maxila, após expansão rápida, utilizando um método de padronização das radiografias póstero-anterioresCaracterísticas das funções orais de indivíduos com má oclusão Classe III e diferentes tipos faciais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial

versão On-line ISSN 1980-5500

Resumo

SULIANO, André Alencar et al. Prevalência de más oclusões e alterações funcionais entre escolares assistidos pelo Programa Saúde da Família em Juazeiro do Norte, Ceará, Brasil. Rev. Dent. Press Ortodon. Ortop. Facial [online]. 2005, vol.10, n.6, pp.103-110. ISSN 1980-5500.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-54192005000600012.

OBJETIVOS: determinar a prevalência de más oclusões e alterações funcionais entre escolares assistidos pelo Programa Saúde da Família em Juazeiro do Norte. METODOLOGIA: realizou-se um estudo transversal na área assistida pela Unidade de Saúde da Família (USF) nº 20 de Juazeiro do Norte. A partir de uma população de 704 crianças de ambos os gêneros com idades entre 6 e 12 anos, calculou-se a amostra utilizando-se um intervalo de confiança de 95%. Avaliou-se, clinicamente, os padrões oclusal e funcional do sistema estomatognático de 84 crianças, as quais foram convocadas aleatoriamente por agentes comunitárias de saúde. Os padrões foram classificados em: normal (oclusão e funções normais) ou alterado (presença de má oclusão e/ou alteração funcional). A oclusão dividia-se nas relações: vertical, transversal e ântero-posterior. As funções analisadas foram: respiração e deglutição. Para a análise estatística, utilizaram-se os testes Qui-quadrado e de Fisher. RESULTADOS: 77,3% e 72,6% da amostra apresentaram más oclusões e padrão funcional alterado, respectivamente; 59,52% apresentaram ambas as alterações; 45,2% apresentaram alterações oclusais verticais; 60,7% alterações transversais e 20,2% alterações ântero-posteriores; 60,7% alterações respiratórias e 47,6% deglutição alterada. Houve associação estatisticamente significativa entre a relação vertical e as duas funções avaliadas (p<0,001) e entre a relação transversal e a função respiratória (p<0,05). CONCLUSÕES: as prevalências de más oclusões e de alterações funcionais foram elevadas, 77,3% e 72,6%, respectivamente. Houve uma forte associação entre a relação oclusal vertical e as funções avaliadas (respiração e deglutição).

Palavras-chave : Prevalência; Más oclusões; Alterações funcionais; Programa Saúde da Família.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons