SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.9 issue4Domestic transmission of cutaneous leishmaniasis and the association between human and canine leishmaniasis, during an epidemic in Serra de Baturité, State of Ceará, BrazilAspects of the Aids epidemic in a medium-sized municipality of he state of Rio de Janeiro, 2000-2004 author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Epidemiologia

Print version ISSN 1415-790X

Abstract

CAVALCANTI, Silvana Maria de Morais et al. Estudo comparativo da prevalência de Staphylococcus aureus importado para as unidades de terapia intensiva de hospital universitário, Pernambuco, Brasil. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2006, vol.9, n.4, pp. 436-446. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2006000400004.

O Staphylococcus aureus é um dos principais patógenos que coloniza indivíduos saudáveis na comunidade e responde por infecções em pacientes hospitalizados. Um estudo transversal foi realizado para determinar a prevalência de S. aureus meticilina-resistente e sensível entre 231 pacientes, internados entre janeiro e abril de 2003, nas unidades de terapia intensiva (UTIs) do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, assim como os possíveis fatores associados à colonização. Foram coletadas secreções de narinas, axilas, região perineal e dermatoses com soluções de continuidade, de todos os pacientes, nas primeiras 48 horas de internamento nas UTIs. O material foi semeado em meios de cultura adequados. A prevalência de S. aureus igualou-se a 37,7% (87/231), sendo 13% (30/231) meticilina-resistente e 24,8% (57/231) meticilina-sensível. Idade, sexo, uso de antibioticoterapia, corticoterapia, motivo e local do internamento não se associaram à presença do S. aureus ou do meticilina-resistente. Houve associação significante entre procedência hospitalar e colonização por S. aureus, independente da cepa, e entre internamento anterior e presença do S. aureus meticilina-resistente. As narinas foram o sítio de colonização mais significante, por S. aureus meticilina-resistente (47/57=82,4%) e sensível (23/30=76,7%). Foi alta a prevalência do S. aureus (meticilina resistente ou sensível), assim como do meticilina-resistente entre os pacientes das UTIs deste hospital. Estudos futuros poderão comprovar se os resultados aqui descritos e medidas de rastreamento para S. aureus poderiam ser adotadas, de forma prospectiva, para se avaliar o risco, assim como a magnitude do efeito, no controle de infecções hospitalares provocadas por estes patógenos.

Keywords : Prevalência; Staphyloccocus aureus; Resistência à meticilina; Unidade de Terapia Intensiva.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese