SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 número3Mortalidade por câncer de mama em hospital de referência em oncologia, Vitória, ESDistribuição espacial da dengue no município de Mossoró, Rio Grande do Norte, utilizando o Sistema de Informação Geográfica índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790X

Resumo

REIS, Dener Carlos dos; ALMEIDA, Thiara Amanda Corrêa de; QUITES, Humberto Ferreira de Oliveira  e  SAMPAIO, Mariana Mattar. Perfil epidemiológico da tuberculose no Município de Belo Horizonte (MG), no período de 2002 a 2008. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2013, vol.16, n.3, pp.592-602. ISSN 1415-790X.  https://doi.org/10.1590/S1415-790X2013000300004.

Objetivo:

Avaliar o perfil epidemiológico da tuberculose em Belo Horizonte, Minas Gerais, no período de 2002 a 2008.

Métodos:

Estudo epidemiológico, descritivo, de série histórica, cujos dados foram obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, após a aprovação no Conselho de Ética e Pesquisa da Secretaria Municipal de Saúde. Foram calculados coeficientes de incidência, taxas médias e a análise estratificada dos dados com nível de significância de p ≤ 0,05.

Resultados:

Foram notificados, entre 2002 e 2008, 7.590 casos novos de tuberculose, houve um declínio do número de casos ao longo da série histórica, com taxa média anual de incidência de 46/100.000 habitantes. Observou-se uma razão de masculinidade de 1,84:1, um maior coeficiente de incidência no grupo etário de 40 a 59 anos (73/100.000 habitantes) e elevada ocorrência da tuberculose entre os indivíduos com até o ensino fundamental. A forma pulmonar foi a mais prevalente em todos os anos (p < 0,001) e entre os casos com notificação de agravos associados, o alcoolismo foi registrado em 47,9% e a AIDS em 34,5%. Entre 2002 e 2008, houve uma tendência do aumento de casos tratados na modalidade de Tratamento Diretamente Observado, representando um total de 29,5%. O percentual de cura foi abaixo do esperado (67,3%) e o de abandono elevado (17,9%).

Conclusão:

Os resultados indicaram que as ações de controle da tuberculose precisam ser intensificadas com investimentos em capacitação profissional, auditorias sistemáticas do sistema de informação, melhorias na integração dos programas da tuberculose/AIDS e difusão de informação sobre a doença, visando à mobilização social.

Palavras-chave : Tuberculose; Perfil de saúde; Atenção primária à saúde; Política de Saúde; Saúde da Família; Notificação de Doenças.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )