SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 suppl.2Tendência de fumantes na população Brasileira segundo a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios 2008 e a Pesquisa Nacional de Saúde 2013Estilos de vida nas capitais brasileiras segundo a Pesquisa Nacional de Saúde e o Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas Não Transmissíveis por Inquérito Telefônico (Vigitel), 2013 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790Xversão On-line ISSN 1980-5497

Resumo

MENEZES, Ana Maria Baptista et al. Frequência do uso de narguilé em adultos e sua distribuição conforme características sociodemográficas, moradia urbana ou rural e unidades federativas: Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), 2013. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2015, vol.18, suppl.2, pp.57-67. ISSN 1415-790X.  https://doi.org/10.1590/1980-5497201500060006.

Objetivo:

Avaliar a frequência do uso de narguilé na população adulta brasileira de 18 a 59 anos.

Métodos:

Estudo transversal de base populacional utilizando a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), de 2013. Amostragem compreendeu três estágios: setor censitário, domicílio e indivíduo. A frequência e intervalo de confiança de 95% (IC95%) do desfecho "frequência do uso de narguilé", dentre aqueles que relataram uso de tabaco, foi descrita conforme variáveis demográficas, socioeconômicas, zona urbana ou rural do país e macrorregiões; ainda foi investigada a frequência do uso do narguilé conforme idade e escolaridade; todas as análises foram ponderadas.

Resultados:

Dos 60.225 adultos entrevistados, 15% relataram uso de qualquer produto do tabaco, sendo a frequência do uso de narguilé dentre esses de 1,2% (IC95% 0,8 - 1,6), maior no sexo masculino, nos de cor branca, faixa etária mais jovem, com escolaridade média à alta e moradores da área urbana e da região sul e centro-oeste; entre aqueles que experimentaram narguilé, 50% o utilizaram esporadicamente, 12,8% mensalmente, 27,3% semanalmente e 6,8% diariamente.

Conclusões:

A relevância dos achados deve-se ao fato de que este é o primeiro estudo de representatividade nacional que avaliou a frequência do uso do narguilé em adultos no país; os resultados apontam para a necessidade de implementar sua fiscalização, assim como vem ocorrendo em relação ao tabaco.

Palavras-chave : Prevalência; Inquéritos Epidemiológicos; Hábito de Fumar; Estudos Transversais; Adultos..

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )