SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue1Hospitalization for ischemic stroke in Brazil: an ecological study on the possible impact of HiperdiaDietary intake of antioxidant in ELSA-Brasil population: baseline results author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Epidemiologia

Print version ISSN 1415-790XOn-line version ISSN 1980-5497

Abstract

LIMA, Marcos Felipe Silva de et al. Estimativa de peso em idosos institucionalizados: qual equação utilizar?. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2016, vol.19, n.1, pp.135-148. ISSN 1415-790X.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-5497201600010012.

Introdução:

Na impossibilidade de mensuração do peso em idosos, métodos de estimativa podem ser empregados. Entretanto, tais métodos nem sempre são aplicáveis, podendo levar a erros de estimativa que comprometem tanto a prática clínica quanto resultados em estudos epidemiológicos.

Objetivo:

Comparar e validar métodos de estimativa de peso em idosos residentes em instituições de longa permanência de Natal, Rio Grande do Norte.

Métodos:

Avaliaram-se as equações qualitativamente pela reprodutibilidade das medidas que as compunham e, quantitativamente, pela diferença média entre o peso mensurado e os estimados, e utilizado o teste t de Student para amostras pareadas ou ANOVA, coeficiente de determinação (R²), raiz do erro quadrático médio (REQM), coeficiente de correlação intraclasse (CCI) e análise gráfica de resíduos. Adotou-se como valor de significância p < 0,05. Considerou-se aplicável quando a equação apresentava R² > 0,7; menor REQM dentre as equações avaliadas; CCI > 0,7; e respectivo intervalo de confiança 95% com menor distância entre os limites inferior e superior.

Resultados:

Avaliaram-se 315 idosos de 10 instituições de longa permanência de Natal. O peso corporal médio foi maior nos idosos mais jovens e sem restrição de mobilidade. A análise qualitativa mostrou a equação 5 como a de melhor reprodutilidade, uma vez que não utiliza medidas de dobras cutâneas. A análise quantitativa revelou a equação 5 como a de melhor aplicabilidade em toda a população avaliada e nos diferentes sexos, faixas etárias (60 a 69 anos, 70 a 79 anos e 80 anos ou mais) e condição de restrição de mobilidade.

Conclusão:

A equação 5 foi aplicável para a estimativa de peso na população avaliada e nos diferentes estratos analisados.

Keywords : Estudos transversais; Estudos de validação; Saúde do idoso; Estado nutricional; Avaliação nutricional; Antropometria..

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )