SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 suppl.2Iniquidades raciais e envelhecimento:análise da coorte 2010 do Estudo Saúde,Bem-Estar e Envelhecimento (SABE)Sobrevida de idosos e exposição à polifarmácia no município de São Paulo: Estudo SABE índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Epidemiologia

versão impressa ISSN 1415-790Xversão On-line ISSN 1980-5497

Resumo

PETRONI, Tamara Nogueira et al. Idosos não japoneses, japoneses e descendentes de japoneses no Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento: condições funcionais e de saúde. Rev. bras. epidemiol. [online]. 2018, vol.21, suppl.2, e180005.  Epub 04-Fev-2019. ISSN 1980-5497.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-549720180005.supl.2.

Introdução:

A cidade de São Paulo conta com a maior comunidade de descendentes japoneses fora do Japão.

Objetivos:

Comparar as condições demográficas, econômicas, funcionais e de saúde de idosos não japoneses, japoneses e descendentes de japoneses, bem como analisar comparativamente as condições funcionais e de saúde de idosos nascidos no Japão e de seus descendentes nascidos no Brasil.

Métodos:

Estudo transversal realizado no município de São Paulo, no ano de 2010, com 1.345 idosos (≥ 60 anos) participantes do Estudo Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento (SABE). Os idosos foram classificados em não japoneses (não nascidos no Japão), japoneses (nascidos no Japão) ou descendentes diretos de japoneses. Para a análise dos dados, utilizou-se o teste do χ2 com correção Rao-Scott.

Resultados:

Dos 1.345 idosos, 3,3% eram japoneses ou descendentes. Esses se diferenciavam dos não japoneses quanto à escolaridade mais elevada e suficiência de renda. Entre os idosos nascidos no Japão, houve maior proporção de longevos (38,8%), portadores de doenças cardiovasculares (48,9%) e de declínio cognitivo (26,7%).

Conclusão:

Nota-se que os idosos japoneses/descendentes apresentaram melhor funcionalidade quando comparados aos não japoneses. Já entre japoneses e descendentes, observou-se diferenças no perfil das doenças. Acredita-se que tais resultados possam ser decorrentes das influências culturais.

Palavras-chave : Idoso; Atividades cotidianas; Japão.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )