SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número1Avaliação da atividade antioxidante e inibitória da tirosinase das folhas de Dipteryx alata Vogel (Baru)Influência do horário de colheita sobre o rendimento e composição do óleo essencial de erva-cidreira brasileira [Lippia alba (Mill.) N. E. Br.] índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Plantas Medicinais

versão impressa ISSN 1516-0572

Resumo

ARRUDA, J.T. et al. Efeito do extrato aquoso de camomila (Chamomilla recutita L.) na prenhez de ratas e no desenvolvimento dos filhotes. Rev. bras. plantas med. [online]. 2013, vol.15, n.1, pp.66-71. ISSN 1516-0572.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-05722013000100009.

As plantas medicinais possuem substâncias ativas e, muitas vezes, o efeito tóxico sobre o organismo é desconhecido ou ignorado pelos usuários. A camomila é muito utilizada pela população, porém, contra-indicada para gestantes por possuir indícios de atividade emenagoga e relaxante da musculatura lisa. Por esses motivos, o objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos do extrato aquoso de camomila na gestação e nos filhotes gerados. Foram utilizadas 9 ratas da linhagem Wistar, divididas em 3 grupos, D1 e D2 que receberam infusão de camomila a 5% e 10% respectivamente, e o grupo controle que recebeu soro fisiológico. Os tratamentos foram administrados por via oral, desde o 1o ao 7o dia após o cruzamento. Os parâmetros estudados foram: prevalência de abortos, ganho de peso materno durante a prenhez, morte fetal e materna, malformações fetais grosseiras, número de recém-nascidos, peso dos filhotes, e análise de reflexos neurológicos dos filhotes (postural, preensão e orientação) no 1o, 3o, 5o e 10o dias de vida. Houve gestação em 70% do grupo controle, 40% do D1 e 80% do D2. Não houve diferença no ganho de peso materno no 7o e 21o dia, porém, os grupos tratados obtiveram ganho de peso menor em relação ao controle no 14o dia de gestação (p=0,04). As diferenças entre o número de recém-nascidos não foram significantes. Quanto ao peso dos recém-nascidos, os animais tratados apresentaram menor ganho de peso aos dias 1, 3, 5, e 10 após o nascimento (p=0,005; p=0,001; p<0,001; p<0,001; respectivamente). Ocorreram diferenças no reflexo postural no 1o dia, ocorrendo aceleração (p=0,005); já no reflexo de preensão (p=0,006), e no reflexo de orientação (p=0,01) houve retardo no desaparecimento, sem alteração nos demais dias sobre os outros parâmetros avaliados. A camomila pode influenciar, tanto no ganho de peso materno durante a gestação, como no dos filhotes após o nascimento, e pode provocar alterações nos reflexos neurológicos. Não se observou alteração nos demais parâmetros estudados.

Palavras-chave : plantas na gravidez; camomila; teratogênese.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons