SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número3Avaliação do potencial fitotóxico de Persea venosa Nees & Mart. (Lauraceae) sobre sementes e plântulas de diferentes espécies cultivadasSeleção de extratos de plantas ativos contra o bicho-mineiro-do-cafeeiro Leucoptera coffeella (Lepidoptera: Lyonetiidae) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Plantas Medicinais

versão impressa ISSN 1516-0572

Resumo

PALIOTO, G.F.  e  ROCHA, C.L.M.S.C.. Avaliação da mutagenicidade de Piper methysticum L. f. no sistema methG1 em Aspergillus nidulans. Rev. bras. plantas med. [online]. 2013, vol.15, n.3, pp.347-351. ISSN 1516-0572.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-05722013000300006.

O extrato seco da raiz de Piper methysticum L. f. Forster (PIPERACEAE), a kava-kava, é usado no tratamento de diversos problemas envolvendo ansiedade como um dos sintomas. Por não causar dependência, sedação e ter ação ansiolítica, muitas pessoas têm recorrido a kava-kava para auxiliá-las no emagrecimento. Isto pode levar ao consumo indiscriminado da planta e acarretar riscos, pois todo medicamento fitoterápico deve respeitar limites de doses. Um risco na utilização de plantas medicinais é a toxicidade e, dentro deste, a mutagenicidade. Como a mutagenicidade está relacionada com a carcinogenicidade torna-se importante testar este potencial na kava-kava. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial mutagênico do extrato seco da raiz de P. methysticum no sistema methG1 em Aspergillus nidulans. A linhagem utilizada foi a biA1methG1, auxotrófica para biotina e metionina. Conídios dormentes de colônias crescidas por cinco dias foram tratados com soluções da kava-kava nas concentrações de 0,35 mg mL-1 e 3,5 mg mL-1, e depois de 24h, semeados em meio seletivo contendo metionina, para análise dos sobreviventes, e sem metionina, para a análise dos mutantes. Os números de sobreviventes e mutantes dos tratamentos foram comparados aos do controle. Os resultados indicaram que o extrato da raiz da kava-kava é mutagênica, pois a freqüência de mutação dos tratamentos foi maior que da mutação espontânea, porém não ocorrendo diferença significativa entre as doses.

Palavras-chave : Piper methysticum L. f.; kava-kava; mutagenicidade; sistema methG1; Aspergillus nidulans.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons