SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número3Avaliação da toxicidade aguda e da atividade cicatrizante dos extratos etanólicos das folhas e raízes da Memora nodosa (Silva Manso) Miers (Bignoniaceae)Composição química do óleo essencial de Salvia (Salvia officinalis) do Estado do Rio de Janeiro (Brasil) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Plantas Medicinais

versão impressa ISSN 1516-0572

Resumo

PADUA, M.S. et al. Avaliação da atividade antimicrobiana in vitro de extratos etanólicos de Banisteriopsis anisandra (A. Juss.) B. Gates (Malpighiaceae). Rev. bras. plantas med. [online]. 2013, vol.15, n.3, pp.431-437. ISSN 1516-0572.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-05722013000300017.

O objetivo deste estudo foi avaliar a atividade antimicrobiana in vitro de extratos etanólicos de Banisteriopsis anisandra. Os testes foram realizados utilizando o método de sobreposição de extratos em meio de cultura para fungos fitopatogênicos Rhizoctonia solani e Fusarium oxysporum e de difusão em disco para os microrganismos Staphylococcus aureus e Candida albicans. Foram testados de extratos etanólicos de folhas preparados por maceração (extrato I) e decocção (extrato II), nas concentrações de 430,0; 215,0 e 107,5 mg/mL. A inibição do crescimento de R. solani e F. oxysporum foi determinada pelo cálculo do índice de velocidade de crescimento micelial (IVCM) e de C. albicans e S. aureus, por meio da medida da halos de inibição. Os extratos que causaram inibição significativa também foram testados nas concentrações de 86,0; 64,5; 43,0 e 21,5 mg/mL para C. albicans e S. aureus. Ambos os extratos mostraram atividade inibitória sobre os microrganismos estudados. Rizoctonia solani apresentou menor IVCM na presença do extrato II (107,5 mg/mL) e Fusarium oxysporum apresentou discreta redução no IVCM na presença do extrato I (107,5 mg/mL) e II (107,5 e 215 mg/mL). Extratos etanólicos I e II inibiram o crescimento de C. albicans, com as maiores taxas de inibição observadas na presença do extrato II (215,0 mg/mL). Para S. aureus a maior atividade inibitória foi observada na presença do extrato II, na concentração de 430 mg/mL. Os resultados mostraram promissora atividade antimicrobiana de extratos de B. anisandra, o que pode contribuir para estudos futuros visando o desenvolvimento de medicamentos para doenças humanas e de plantas causadas por estes microrganismos.

Palavras-chave : Banisteriopsis anisandra; atividade antimicrobiana; extratos etanólico.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons