SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número4  suppl.1Plantas medicinais abortivas utilizadas por mulheres de UBS: etnofarmacologia e análises cromatográficas por CCD e CLAEPlantas medicinais no controle de urolitíase índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Plantas Medicinais

versão impressa ISSN 1516-0572

Resumo

HANISCH, A.L. et al. Persistência de plantas medicinais em sistemas agroflorestais no município de São Bento do Sul, SC, Brasil. Rev. bras. plantas med. [online]. 2013, vol.15, n.4, suppl.1, pp.774-779. ISSN 1516-0572.  https://doi.org/10.1590/S1516-05722013000500019.

No final da década de 90, a comunidade de Rio Natal, no município de São Bento do Sul, SC, passou a fazer parte de uma Área de Preservação Ambiental e desde então, muitas áreas de cultivo, paulatinamente, estão retomando o processo de formação florestal. Neste cenário, foi sugerido pela comunidade, a possibilidade de cultivo de plantas medicinais adaptadas às condições de sombreamento. Em atendimento a essa demanda foi realizada uma pesquisa participativa na comunidade, de 2005 a 2008, onde foram avaliadas 14 espécies de plantas medicinais com potencial de mercado, cultivadas em áreas sombreadas, em três propriedades familiares. Foram avaliados: taxa de sobrevivência das espécies, incidência de doenças e pragas, teor de massa seca e altura das plantas. Apresentaram persistência ao cultivo em áreas sombreadas as espécies: Curcuma longa L. (açafrão-da-índia); Arctium lappa L. (bardana); Pfaffia glomerata (Spreng) Pedersen (fáfia ou ginseng-brasileiro); Mikania glomerata Sprengel (guaco); Alternanthera brasiliana L. Kuntze (penicilina); Pogostemon cablin (Blanco) Benth (patchuli) e Maytenus ilicifolia Mart. Ex Reissek (espinheira-santa).

Palavras-chave : agroecologia; Floresta Ombrófila Densa; pesquisa participativa.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons