SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número2SOBRE OS EFEITOS PSÍQUICOS DAS IMAGENS VIOLENTAS: NO BARROCO E NA ATUALIDADEPARA UMA SUSPENSÃO DO TEMPO ORDINÁRIO - A EXPERIÊNCIA DA FESTA, DO TÉDIO E DO DIVàíndice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Ágora: Estudos em Teoria Psicanalítica

versão impressa ISSN 1516-1498versão On-line ISSN 1809-4414

Resumo

SHIMABUKURO, Felipe. O INCONSCIENTE E A LÓGICA A PARTIR DE FREUD E LACAN. Ágora (Rio J.) [online]. 2019, vol.22, n.2, pp.200-208.  Epub 27-Maio-2019. ISSN 1809-4414.  https://doi.org/10.1590/1809-44142019002007.

Nós propomos, neste artigo, uma interpretação da seguinte passagem do Abriss der Psychoanalyse de Freud: “As regras decisivas da lógica não têm validade no inconsciente, pode-se dizer que ele é o reino do ilógico”. Para tanto, procederemos em quatro etapas: 1) Delimitar o conceito de lógica a partir do Organon de Aristóteles. 2) Identificar quais são as regras decisivas da lógica e seu conteúdo. 3) Examinar em que sentido tais regras não possuem validade no inconsciente. 4) Problematizar a tese freudiana de que o inconsciente seria o reino do ilógico. A ideia de que esta tese freudiana é problemática surge de uma tese que Lacan apresenta no seminário XIV sobre a lógica da fantasia, a saber, que o inconsciente “está instalado no campo da lógica e que ele articula proposições”. Esta tese lacaniana nos permitirá chegar à conclusão de que o inconsciente não é totalmente o reino do ilógico.

Palavras-chave : inconsciente; lógica; Freud; Lacan.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )