SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número4Habilidades auditivas e medidas da imitância acústica em crianças de 4 a 6 anos de idadeHabilidades em consciência fonológica: diferenças no desempenho de meninos e meninas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Revista CEFAC

versão On-line ISSN 1982-0216

Resumo

MOURAO, Aline Mansueto; ESTEVES, Carolina Campos; LABANCA, Ludimila  e  LEMOS, Stela Maris Aguiar. Desempenho de crianças e adolescentes em tarefas envolvendo habilidade auditiva de ordenação temporal simples. Rev. CEFAC [online]. 2012, vol.14, n.4, pp. 659-668.  Epub 13-Dez-2011. ISSN 1982-0216.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462011005000141.

OBJETIVO: analisar o desempenho de crianças e adolescentes na habilidade auditiva de ordenação temporal simples segundo as variáveis: idade, sexo, queixas e hipóteses diagnósticas fonoaudiológicas. MÉTODO: trata-se de 400 sujeitos, na faixa etária de 4 e 14 anos, avaliados no período 2006 a julho de 2010. Os instrumentos de coleta de dados foram anamnese e os testes de sequencialização de sons verbais (MSV) e não-verbais (MSNV). Para análise dos dados foi utilizado o programa SPSS versão 12, cálculo do risco relativo (RR) e o teste do qui-quadrado de Pearson. O nível de significância considerado foi de 5%. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa da instituição. RESULTADOS: dos 400 pacientes, 262 (65,6%) do gênero masculino e 138 (34,5%) do gênero feminino. 138 pacientes (34,5%) apresentaram MSV alterado e 109 (27,5%) MSNV alterado. Não houve relação com significância estatística com a variável gênero. Ao associar os resultados dos testes MSV e MSNV à variável queixa fonoaudiológica, observou-se associação estatística nas queixas de fala, voz e leitura/escrita. Ao comparar os resultados dos testes aos da avaliação fonoaudiológica, obteve-se relação estatisticamente significante com alterações de fala, voz, leitura/escrita, consciência fonológica, funções e aspectos cognitivos da linguagem. Houve melhora estatisticamente significante no desempenho auditivo com o avanço da idade. CONCLUSÃO: o processamento auditivo temporal está envolvido na maioria das habilidades de comunicação, e sujeitos com alterações fonoaudiológicas possuem desempenhos inferiores quando comparados a sujeitos sem alterações.

Palavras-chave : Audição; Percepção Auditiva; Criança; Adolescente.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português