SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 número4Protocolo de Observação Comportamental - PROC: valores de referência para uma análise quantitativaAlterações vocais e cuidados de saúde entre professoras índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista CEFAC

versão On-line ISSN 1982-0216

Resumo

GOULART, Bárbara Niegia Garcia de  e  CHIARI, Brasília Maria. Comunicação humana e saúde da criança: reflexão sobre promoção da saúde na infância e prevenção de distúrbios fonoaudiológicos. Rev. CEFAC [online]. 2012, vol.14, n.4, pp. 691-696.  Epub 22-Jul-2011. ISSN 1982-0216.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462011005000073.

OBJETIVO: apresentar considerações sobre as possibilidades de atuação fonoaudiológica para a promoção e manutenção da saúde da criança, bem como parâmetros para a identificação precoce de distúrbios de linguagem, voz, fala e audição na infância. MÉTODO: estudo transversal com 65 crianças matriculadas no ensino fundamental em escolas públicas, sem histórico de avaliação ou tratamento fonoaudiológico e indicadas pelo núcleo de orientação pedagógica da escola por suspeita de distúrbio fonoaudiológico; juntamente com dados de literatura relacionados à fala, linguagem oral, escrita e fonoaudiologia na promoção da saúde da criança. RESULTADOS: das 53 crianças efetivamente entrevistadas, 39 (73,6%) eram do sexo masculino. A média de idade foi de 8,8 anos (dp=2,1). Não foi encontrada associação entre gênero e ocorrência de hábitos orais nocivos (RP=1,13; IC 95% 0,36-3,59), tampouco entre ter irmãos e apresentar hábitos orais nocivos (p=0,18). Quando perguntadas sobre sua acuidade auditiva, quatro (4,7%) referiram dificuldades auditivas sem avaliação ou diagnóstico prévio. Todas as crianças foram encaminhadas pela escola para avaliação fonoaudiológica por histórico de dificuldades de aprendizagem de leitura e/ou escrita, bem como distúrbios da comunicação oral percebidos pelos professores; as referidas dificuldades foram confirmadas em 100% dos casos. CONCLUSÕES: é necessário que ocorra troca de experiências entre educadores e fonoaudiólogos, principalmente objetivando a promoção do desenvolvimento saudável da criança, visando integrá-la melhor ao ambiente escolar, seja em relação à aprendizagem da leitura e escrita, seja para maior efetividade da comunicação oral, altamente demandada na sociedade contemporânea.

Palavras-chave : Desenvolvimento da Linguagem; Epidemiologia; Fonoaudiologia; Saúde da Criança; Fala; Aprendizagem.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês