SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.118 issue4Prognosis related to staging systems for chronic lymphocytic leukemiaIncreased exhalation of hydrogen peroxide in healthy subjects following cigarette consumption author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

LARANJEIRA, Ronaldo; PILLON, Sandra  and  DUNN, John. Environmental tobacco smoke exposure among non-smoking waiters: measurement of expired carbon monoxide levels. Sao Paulo Med. J. [online]. 2000, vol.118, n.4, pp. 89-92. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802000000400003.

CONTEXTO: O ambiente exposto à fumaça do cigarro traz graves riscos à saúde e preocupa tanto os empregadores quanto empregados de restaurantes e bares. No entanto, os fumantes passivos correm riscos elevados de desenvolverem doenças cancerígenas, pulmonares e cardíacas. Baseados nestes parâmetros e na experiência de países que sancionaram leis que proíbem fumar ou restringem o fumar em áreas restritas e, antes de sancionar leis municipais na cidade de São Paulo, dá-se a importância de realizar este estudo. OBJETIVO: Avaliar a exposição à fumaça de cigarro no ambiente de trabalho (através da medida do nível de monóxido de carbono) em garçons não fumantes, antes e depois do expediente de trabalho, e comparar os níveis pré-exposição com os de estudantes universitários não fumantes. TIPO DE ESTUDO: Estudo observacional LOCAL: Restaurantes com mais de 50 mesas ou 100 assentos, todos localizados em São Paulo. PARTICIPANTES: A amostra é constituída por 100 garçons não fumantes e 100 estudantes não fumantes. VARIÁVEIS ESTUDADAS: O nível de monóxido de carbono expirado foi medido com um aparelho Smokerlyser (Bedfont EC 50 Scientific), antes e depois do expediente de cada garçom. RESULTADOS: Os níveis pré-exposição de monóxido de carbono expirado foram semelhantes entre os garçons e os estudantes, mas após uma média de 9 horas no local de trabalho, o nível mediano entre os garçons foi mais que o dobro (de 2,0 ppm para 5,0 ppm, P < 0,001). Os níveis pós-exposição de monóxido de carbono correlacionaram com o número de mesas disponíveis para fumantes (Kendall's tau = 0,2, P < 0,0001). CONCLUSÃO: A exposição à fumaça de cigarro no ambiente de trabalho é a explicação mais provável para este aumento no nível de monóxido de carbono expirado entre os garçons. Estes achados podem ser utilizados para direcionar o debate sobre fumo passivo e a saúde pública.

Keywords : Fumante passivo; Restaurantes; Monóxido de carbono; Brasil.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English