SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.119 issue1Ingestion of caustic substances and its complicationsNuchal translucency: an ultrasound marker for fetal chromosomal abnormalities author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180On-line version ISSN 1806-9460

Abstract

CHAUFFAILLE, Maria de Lourdes Lopes Ferrari; OLIVEIRA, José Salvador Rodrigues; ROMEO, Maura  and  KERBAUY, José. Fluorescent in-situ hybridization (FISH) for BCR/ABL in chronic myeloid leukemia after bone marrow transplantation. Sao Paulo Med. J. [online]. 2001, vol.119, n.1, pp.16-18. ISSN 1806-9460.  https://doi.org/10.1590/S1516-31802001000100005.

CONTEXTO: Na leucemia mielóide crônica, a detecção do cromossomo Philadelphia ou o rearranjo gênico BCR/ABL é importante tanto ao diagnóstico como após o tratamento. OBJETIVO: Comparar os resultados do cariótipo com a hibridação in situ por fluorescência ao diagnóstico e, após um ano de transplante de medula óssea, em 12 pacientes com leucemia mielóide crônica. TIPO DE ESTUDO: Teste diagnóstico e detecção de doença residual. LOCAL: Disciplina de Hematologia e Hemoterapia da Universidade de São Paulo/Escola Paulista de Medicina. AMOSTRA: 12 pacientes com leucemia mielóide crônica ao diagnóstico e um ano após transplante de medula óssea. TESTE DIAGNÓSTICO: A análise do cariótipo (forma clássica) e a hibridação in situ por fluorescência com a sonda específica para os genes BCR/ABL. VARIÁVEIS ESTUDADAS: Doença ao diagnóstico e residual. RESULTADOS: Ao diagnóstico, 10 pacientes apresentaram t(9;22)(q34.1;q11) no cariótipo assim como pela hibridação in situ por fluorescência. Dois casos em que na citogenética não havia mitoses, apresentaram rearranjo pela hibridação in situ por fluorescência. Após o transplante de medula óssea, o cariótipo mostrou ausência do cromossomo Philadelphia em 8 casos, persistência em um e ausência de metáfases em três. Em dois casos havia quimera completa e em outros dois havia concomitância de células do doador e do receptor. A hibridação in situ por fluorescência foi possível em todos os casos após o transplante de medula óssea, confirmando a persistência do clone cromossomo Philadelphia num paciente em que o cariótipo também havia mostrado e identificando noutro em que não havia metáfases. Os casos de quimera mista foram negativos para BCR/ABL pela hibridação in situ por fluorescência. CONCLUSÃO: Ficou evidente a aplicabilidade da hibridação in situ por fluorescência, particularmente na detecção de doença residual. A citogenética clássica e a molecular são métodos complementares.

Keywords : Genes BCR/ABL; Leucemia mielóde crônica; Hibridação in situ por fluorescência; Leucemia mielóide crônica.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License