SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.122 issue3Possible hepatotoxicity of chronic marijuana usageThe role of HER2/neu, BCL2, p53 genes and proliferating cell nuclear protein as molecular prognostic parameters in localized prostate carcinoma author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

LIMA, Marilia de Carvalho; MOTTA, Maria Eugênia Farias Almeida; SANTOS, Eliane Cavalcanti  and  SILVA, Gisélia Alves Pontes da. Determinantes do retardo de crescimento em crianças hospitalizadas: um estudo caso controle. Sao Paulo Med. J. [online]. 2004, vol.122, n.3, pp. 117-123. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802004000300008.

CONTEXTO: Desnutrição energético-protéica constitui um problema de saúde pública especialmente em países em desenvolvimento. A identificação de fatores de risco passíveis de controle é de grande importância para os sanitaristas planejarem intervenções a fim de reduzirem a desnutrição na infância. OBJETIVOS: Identificar fatores de risco para desnutrição energético-protéica em crianças hospitalizadas e de baixa renda com 6 a 24 meses de idade. TIPO DE ESTUDO: Estudo do tipo caso-controle. LOCAL DO ESTUDO: Instituto Materno Infantil de Pernambuco e Hospital Barão de Lucena, dois hospitais públicos do Recife, nordeste do Brasil. PARTICIPANTES: Casos foram 124 crianças com comprimento para a idade abaixo do 10º percentil para a curva do National Center for Health Statistics e controles foram 241 crianças com comprimento para a idade igual ou acima do 10º percentil e recrutadas na mesma enfermaria. MÉTODOS: Casos e controles foram comparados em relação a uma série de fatores sociodemográficos, ambientais, reprodutivos, assistência à saúde, prática alimentar e morbidades prévias. Análise de regressão logística foi utilizada a fim de investigar o efeito independente dos fatores de risco para desnutrição infantil, após ajuste para potenciais fatores de confusão. A estratégia analítica usada foi o modelo hierárquico que consiste na entrada das variáveis explanatórias no modelo em uma ordem previamente estabelecida pelo pesquisador, baseada em um modelo conceitual que descreve as relações lógicas e teóricas entre os fatores de risco. RESULTADOS: A idade materna, posse de aparelho de TV, tipo de abastecimento de água, tamanho da família e local de moradia apresentaram associação significante com a desnutrição; no entanto, essas associações perderam a significância depois de serem controladas por outras variáveis explanatórias na análise de regressão logística hierarquizada. Esta análise mostrou que o baixo peso ao nascer contribuiu com o maior risco para desnutrição na população estudada (odds ratio = 6,04; p = 0,005). Maiores riscos para desnutrição também foram significantemente associados com habitações sem sanitário e sem geladeira, multiparidade, nunca ter sido amamentado, vacinação desatualizada e hospitalização prévia por diarréia e pneumonia. DISCUSSÃO: A literatura mostra que a desnutrição crônica, apontada por índices de altura-para-idade baixos, está freqüentemente associada a baixa renda. Isto não foi verificado neste estudo, em que outras variáveis, tais como peso baixo ao nascer e acesso a sanitários e refrigeradores, além da paridade da mãe, amamentação, vacinação e história de diarréia e pneumonia, tiveram maior impacto sobre o crescimento das crianças. CONCLUSÕES: Em vista da multicausalidade da desnutrição, as interrelações entre seus determinantes devem ser levadas em consideração ao se adotar estratégias para a sua redução e prevenção.

Keywords : Desnutrição protéico-energética; Fatores socioeconômicos; Baixo peso ao nascer; Setor de assistência à saúde; Desnutrição; Morbidade infantil.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English