SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.122 issue6Insight into schizophrenia: a comparative study between patients and family membersClinical versus computed tomography evaluation in the diagnosis and management of deep neck infection author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

PAGANO, Tathiana et al. Avaliação da ansiedade e qualidade de vida em pacientes fibromiálgicos. Sao Paulo Med. J. [online]. 2004, vol.122, n.6, pp. 252-258. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802004000600005.

CONTEXTO: Fibromialgia é uma síndrome reumática caracterizada por dores músculo-esqueléticas difusas e crônicas e sítios dolorosos específicos à palpação, chamados de tender points, freqüentemente associados a fadiga, distúrbios do sono, rigidez matinal e, em alguns casos, dispnéia e ansiedade. Devido ao seu caráter crônico, a síndrome geralmente causa impacto negativo na qualidade de vida dos fibromiálgicos. OBJETIVO: Comparar a eficácia de instrumentos que avaliam a qualidade de vida de fibromiálgicos mensurada pelo Fibromyalgia Impact Questionnaire(FIQ) e pelo Medical Outcomes Study 36-item Short-Form Healthy Survey (SF-36), e a ansiedade avaliada pelo Inventário de Ansiedade Traço-estado (IDATE). TIPO DE ESTUDO: Transversal. LOCAL: Ambulatório de Reumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC/FMUSP). MÉTODOS: Participaram do estudo 80 sujeitos: 40 com fibromialgia (grupo teste) e 40 saudáveis (grupo controle). Três questionários (dois para avaliação de qualidade de vida - FIQ e SF-36 -; e um para ansiedade - IDATE) foram aplicados aos indivíduos dos dois grupos em uma única entrevista. Toda a análise estatística foi realizada utilizando-se o Teste "t" Student e o teste de Correlação de Pearson (r), com significância p < 0,05. Além disso, o teste estatístico Qui-quadrado de Pearson, para homogeneidade, foi usado para comparar o grau de escolaridade entre os grupos teste e controle. RESULTADOS: Os resultados obtidos mostram que houve diferença estatisticamente significante entre os grupos (p = 0,00), indicando que os fibromiálgicos têm pior qualidade de vida e níveis mais altos de ansiedade. A correlação entre os três questionários foi alta (r = 0,90). DISCUSSÃO: O impacto negativo na qualidade de vida decorrente da Fibromialgia tem sido relatado em muitos estudos, nos quais os protocolos de avaliação são os principais istrumentos de medida. O FIQ é um instrumento utilizado em vários estudos clínicos para avaliar a função física. Este estudo comprovou a eficiência do FIQ para avaliar o impacto da fibromialgia sobre a qualidade de vida. O SF-36 é menos específico que o FIQ, mas também se mostrou eficiente para a avaliação da qualidade de vida de fibromiálgicos, uma vez que os discrimina dos indivíduos saudáveis. A ansiedade é considerada um sintoma secundário da fibromialgia e é freqüentemente grave nos casos de fibromialgia. Um dos instrumentos utilizados para avaliá-la é o IDATE. No presente estudo, apesar de apresentar resultados estatisticamente significantes quando analisado isoladamente, o IDATE mostrou-se menos eficaz que os demais instrumentos para distinguir o grupo teste do controle. Tratando-se mais especificamente da qualidade de vida, foi possível confirmar que o grupo teste apresenta pior qualidade de vida quando comparado ao controle. Isso foi demonstrado pelos dois instrumentos utilizados para avaliar a qualidade de vida (FIQ e SF-36). Quanto à ansiedade, apesar do IDATE ter sido o instrumento menos eficaz, pôde-se observar resultados significantes na avaliação dos grupos teste e controle, evidenciando que os pacientes com fibromialgia apresentam maior nível de ansiedade, tanto no estado como no traço. Portanto, os pacientes com fibromialgia têm níveis mais elevados de tensão, nervosismo, preocupação e apreensão (avaliados pela escala A-estado); e maior propensão à ansiedade (avaliada pela escala A-traço). CONCLUSÃO: Os três instrumentos utilizados mostraram ser eficazes para avaliar pacientes fibromiálgicos, porém o FIQ mostrou ser o mais eficaz para discriminar e avaliar o impacto da fibromialgia na qualidade de vida. Conclui-se que os pacientes fibromiálgicos têm pior qualidade de vida e níveis mais altos de ansiedade.

Keywords : Fibromialgia; Qualidade de vida; Ansiedade; Questionários; Dor.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English