SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.123 issue6The role of serum and urinary urea in the evaluation of enteral protein intake in adequate and small-for-gestational-age very low birth weight infantsFine-needle aspiration biopsy for breast lesions: a comparison between two devices for obtaining cytological samples author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180On-line version ISSN 1806-9460

Abstract

DULLEY, Frederico Luiz et al. Protocolo DD: daunorrubicina lipossomal e dexametasona para o tratamento do mieloma múltiplo. Sao Paulo Med. J. [online]. 2005, vol.123, n.6, pp.266-270. ISSN 1806-9460.  https://doi.org/10.1590/S1516-31802005000600003.

CONTEXTO E OBJETIVO: A daunorrubicina lipossomal tem sido usada no tratamento em várias doenças hematológicas malignas, incluindo mieloma múltiplo (MM). O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia, efeitos colaterais e toxicidade da daunorrubicina lipossomal and dexametasona no Protocolo DD. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo prospectivo, realizado nos hospitais Sírio Libanês, São Camilo, Brasil e no Hospital Alemão Oswaldo Cruz. MÉTODOS: 20 pacientes com MM ativo receberam daunoxome (25-30 mg/m²/dia) por três dias consecutivos, mensal, por quatro meses (total de quatro ciclos), e dexametasona, 10 mg a cada seis horas por quatro dias consecutivos (dia 1 - 4, 9 - 12 e 17 - 20), também mensal. RESULTADOS: A mediana entre o diagnóstico e o início do protocolo DD foi de 13 meses. Quinze pacientes receberam alguma quimioterapia anterior ao protocolo DD. Uma redução maior que 50% do pico monoclonal sérico foi observada em seis paciente após o primeiro ciclo do DD (30%), em seis pacientes após o segundo ciclo (30%), em quatro pacientes após o terceiro ciclo (20%) e em quatro pacientes não houve redução (20%). No início do protocolo, 17 pacientes (85%) apresentavam anemia e em 12 destes pacientes (70%) a anemia foi corrigida. Doença progressiva foi observada em três pacientes (15%), um apresentava resposta mínima, quatro pacientes (20%) apresentaram resposta parcial e 12 (60%) apresentaram resposta completa. A toxicidade hematológica foi aceitável.Toxicidade em trato gastrointestinal foi leve, consistindo em náusea (10%) e anorexia (15%), sem episódios de vômito. CONCLUSÃO: Este tratamento apresentou uma baixa toxicidade, uma boa taxa de resposta e pode ser usado previamente ao transplante de medula óssea autogênico.

Keywords : Mieloma múltiplo; Daunorrubicina; Dexametasona; Quimioterapia; Toxicidade de drogas.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License