SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.125 issue2Value of computed tomography for evaluating the subglottis in laryngeal and hypopharyngeal squamous cell carcinomaBlood pressure and kidney size in term newborns with intrauterine growth restriction author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

PINHEIRO, Gevina Silva et al. Proliferação de antígeno de célula nuclear (PCNA), p53 e expressão de MDM2 em doença do Hodgkin. Sao Paulo Med. J. [online]. 2007, vol.125, n.2, pp. 77-84. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802007000200003.

CONTEXTO E OBJETIVO: As células tumorais da doença de Hodgkin (HD) são positivas para marcadores de proliferação celular que são analisados por seus genes e respectivas proteínas. A correlação entre a expressão destas proteínas e os parâmetros clínico-laboratoriais são, no momento, de importância para o prognóstico da doença. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo retrospectivo da expressão do antígeno de proliferação celular (PCNA) e da p53 e MDM2 em tecidos obtidos ao diagnóstico, fixados por formol, embebidos em parafina de 51 pacientes com HD. O trabalho foi realizado na Divisão de Hematologia e Transfusão, Hospital São Paulo, Universidade Federal de São Paulo. MÉTODOS: As expressões antigênicas foram analisadas através da proporção de células de Hodgkin e células de Reed Sternberg (HRS) e linfócitos reacionais (L) positivos. A intensidade de expressão de cada proteína foi comparada entre L e HRS através do coeficiente de Spearman. A comparação da PCNA, p53 e MDM2 em L e HRS se fez pelo teste de Fiedman. As correlações entre variáveis clínico-laboratoriais, comprometimento da medula óssea, taxas de sobrevida geral e remissão clínica com as proteínas em HRS se fizeram pelo coeficiente de Pearson. RESULTADOS: Houve superexpressão das três proteínas em células HRS comparadas aos L (p < 0,001). Nas células HRS, a MDM2 foi maior que a p53 e a PCNA (p < 0,003), que foram equivalentes. Nos L, a p53 foi menor que a MDM2 e a PCNA (p < 0,001), que foram equivalentes Não houve relação entre as expressões das proteínas com as variáveis clínico-laboratoriais e sobrevida. CONCLUSÕES: PCNA, p53 e MDM2 são marcadores tumorais na HD, porém não mostraram significado clínico-prognóstico em nossa análise.

Keywords : Antígeno nuclear de célula em proliferação; Genes p53; Proteínas proto-oncogênicas c-mdm2; Doença de Hodgkin; Imunohistoquímica.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English