SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.125 issue3Inter-observer agreement in interpreting chest X-rays on children with acute lower respiratory tract infections and concurrent wheezingPosterior sagittal anorectoplasty in anorectal anomalies: clinical, manometric and profilometric evaluation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

VELASQUEZ-MELENDEZ, Gustavo et al. Prevalência da síndrome metabólica em área rural do Brasil. Sao Paulo Med. J. [online]. 2007, vol.125, n.3, pp. 155-162. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802007000300006.

OBJETIVO E CONTEXTO: A síndrome metabólica (SM) é reconhecida mundialmente como importante problema de saúde pública e tem apresentado prevalência crescente. Entretanto, existe pouca informação sobre prevalência da SM em populações rurais brasileiras. Este estudo objetivou determinar a prevalência e os fatores associados a SM em uma comunidade rural do Brasil, em 2004. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo transversal de base populacional, conduzido em Virgem das Graças, comunidade rural localizada no Vale do Jequitinhonha, Estado de Minas Gerais, Brasil, 2004. MÉTODOS: SM foi definida pelo critério do National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel (NCEP/ATP III) como a co-ocorrência de pelo menos três dos seguintes fatores: hipertensão arterial, altos níveis séricos de glicose ou triglicérides, baixos níveis da lipoproteína de alta densidade, e obesidade abdominal. A prevalência de SM foi calculada segundo variáveis socioeconômicas e demográficas em 251 pessoas (117 homens, 134 mulheres) com idades entre 20-88 anos. Utilizou-se regressão logística para estimar odds ratio (OR) e seus intervalos de confiança de 95%. RESULTADOS: Prevalência da SM foi 21,6% (7,7% para os homens e 33,6% para as mulheres). A prevalência global ajustada por idade foi 19,0%. Prevalências altas foram encontradas em mulheres > 60 anos (52,9 %) e em mulheres com Índice de Massa Corporal (IMC) > 25 (64%). A análise ajustada por hábito de fumar, status marital, cor de pele e escolaridade revelou que o sobrepeso e sexo feminino e a idade como principais fatores de risco relacionado à SM. CONCLUSÕES: A síndrome metabólica representa um potencial problema de saúde pública particularmente em mulheres e indivíduos com sobrepeso na área rural estudada. O sobrepeso, a idade acima de 60 anos e o sexo feminino foram considerados fatores independendentes associados a essa condição.

Keywords : Síndrome X metabólica; Hipertensão; Obesidade; Índice de massa corporal; População rural; Brasil.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English