SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.125 número4Análise da prevalência presumida de lesões suspeitas e altamente suspeitas de câncer de mama em São Paulo, Brasil, utilizando critérios de BIRADS (breast imaging radiology and data system-American College of Radiology) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sao Paulo Medical Journal

versão impressa ISSN 1516-3180versão On-line ISSN 1806-9460

Resumo

GIL, Ana Cecília Montes et al. Hepatotoxidade em crianças e adolescentes infectados pelo HIV em terapia antiretroviral. Sao Paulo Med. J. [online]. 2007, vol.125, n.4, pp.205-209. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802007000400002.

CONTEXTO E OBJETIVO: Reações adversas a drogas são um problema significativo em pacientes sob terapia antiretroviral (TARV). Determinamos a freqüência de valores elevados de enzimas hepáticas em um grupo de crianças e adolescentes infectados pelo HIV sob TARV e os fatores de risco associados. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo transversal, realizado na Divisão de Imunodeficiência em Pediatria, Hospital das Clínicas, Universidade Estadual de Campinas. MÉTODOS: Foram analisados prontuários médicos de 152 crianças e adolescentes (54,6% masculino) infectados pelo HIV sob TARV, com dosagens de enzimas hepáticas, em média, 2,6 exames por paciente. A mediana de idade foi 7,48 anos. Clinicamente os pacientes foram classificados nas categorias N (6), A (29), B (78) e C (39). Foram avaliados os níveis séricos de aspartato aminotransferase e alanina aminotransferase. O sistema de escore da hepatotoxicidade foi: grau 1 (1,1 a 4,9 x• limite superior ao normal, i.e., LSN), grau 2 (5,0 - 9,9 x LSN), grau 3 (10,0 - 15,0 x •LSN) e grau 4 (>15,0 x •LSN). Para determinar os fatores de risco de hepatotoxicidade, foram avaliados odds ratio (OR) e odds ratio ajustado (aOR) para idade, gênero, contagem de linfócitos TCD4+ e uso de medicações. RESULTADOS: Observamos hepatotoxicidade grau 1 em 19,7% (30/152) pacientes. Não foi detectada hepatotoxicidade grau 2, 3 ou 4. Houve uma associação significativa entre a hepatotoxicidade e uso de sulfas (OR, 3,61; IC 95%, 1,50 -8,70; ORajustado, 3,58; IC 95%, 1,44 - 8,85) e agentes antituberculose (OR, 9,23; IC 95%, 1,60 - 53,08; ORajustado, 9,05, IC 95%, 1,48 - 55,25), mas não estava associada com TARV. CONCLUSÃO: Um quinto dos pacientes apresentaram hepatotoxicidade leve, atribuída ao uso de agentes antituberculose e sulfas. Nossos resultados sugerem que TARV foi bem tolerada.

Palavras-chave : AIDS; Pediatria; Terapia anti-retroviral de alta atividade; Toxicidade de drogas; Agentes antibacterianos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons