SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.125 número6Esteatose hepática não-alcóolica e síndrome metabólica em brasileiros idosos e de meia-idadeEficácia do estriol na inibição da proliferação epitelial no fibroadenoma mamário: ensaio clínico randomizado índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sao Paulo Medical Journal

versão impressa ISSN 1516-3180versão On-line ISSN 1806-9460

Resumo

RIBEIRO, Camila Toffoli et al. Histeroscopia como procedimento padrão para avaliação de lesões endometriais em mulheres na pós-menopausa. Sao Paulo Med. J. [online]. 2007, vol.125, n.6, pp.338-342. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802007000600007.

CONTEXTO E OBJETIVO: O câncer endometrial é o tipo mais prevalente de neoplasia maligna do trato genital. Os objetivos deste estudo foram: calcular a sensibilidade, especifi cidade e acurácia, bem como valor preditivo positivo e negativo das histeroscopias diagnósticas em comparação com a análise histopatológica de todas as lesões da cavidade endometrial. DESENHO E LOCAL: Estudo retrospectivo e descritivo no setor de endoscopia ginecológica do hospital universitário, terciário e público da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. MÉTODOS: A histeroscopia diagnóstica foi indicada nas seguintes situações: espessura endometrial > 4 mm em pacientes assintomáticas, sangramento na pós-menopausa, endométrio irregular ou endométrio de difícil avaliação pelo ultra-som, com ou sem sangramento vaginal. A avaliação ultra-sonográfi ca foi realizada não mais que três meses antes da histeroscopia. RESULTADOS: A idade média das pacientes foi 61,1 ± 2,0 anos, e a duração média do período pós-menopausa foi de 12,7 ± 2,5 anos. Das 510 pacientes, 293 (57,5%) foram submetidas à biópsia endometrial, no estudo histopatológico, 18 pacientes apresentavam carcinoma endometrial, hiperplasia típica ou atípica e nenhuma delas apresentava espessura endometrial maior que 8 mm. Nenhuma diferença signifi cativa foi encontrada entre as espessuras medianas das várias lesões benignas (p > 0,05). A sensibilidade (94,4%), especifi cidade (97%), acurácia (96,8%) e valores preditivos positivo e negativo (68% e 99,6% respectivamente) foram altos em nosso estudo. CONCLUSÃO: Nossos resultados sugerem que a histeroscopia diagnóstica apresenta boa validade como ferramenta diagnóstica para lesões malignas e hiperplasias, bem como para lesões benignas, com exceção dos leiomiomas submucosos, para o qual a sensibilidade foi de somente 52,6%.

Palavras-chave : Histeroscopia; Ultra-som; Pós-menopausa; Biópsia; Neoplasias do endométrio.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons