SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.127 issue1Measurement of tibial slope angle after medial opening wedge high tibial osteotomy: case seriesMismatch repair genes in Lynch syndrome: a review author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

LEMOS JUNIOR, Hernani Pinto de  and  ATALLAH, Álvaro Nagib. Terapia de ressincronização cardíaca em pacientes com insuficiência cardíaca: revisão sistemática. Sao Paulo Med. J. [online]. 2009, vol.127, n.1, pp. 40-45. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802009000100009.

CONTEXTO E OBJETIVO: A terapia de ressincronização cardíaca (TRC) surgiu como a estratégia de tratamento elétrico predominante para pacientes com insuficiência cardíaca com QRS largo e baixa fração de ejeção. O objetivo foi investigar se a terapia de ressincronização cardíaca melhora a mortalidade e morbidade dos pacientes com insuficiência cardíaca. MÉTODOS: Esta é uma revisão sistemática que utilizou a metodologia da Colaboração Cochrane. A estratégia de busca eletrônica incluiu a Biblioteca Cochrane, Medline, Lilacs e congressos de cardiologia de 1990 a 2006. Os critérios de inclusão foram os seguintes: tipos de estudos: estudos clínicos randomizados; tipos de intervenções: terapia de ressincronização cardíaca comparada com outras terapias; tipos de participantes: pacientes com insuficiência cardíaca com baixa fração de ejeção e QRS largo; desfechos: mortalidade, hospitalização. RESULTADOS: Sete estudos foram incluídos. O risco de morte devida à insuficiência cardíaca congestiva foi insignificante: risco relativo (RR) = 0.79; intervalo de confiança (IC) de 95% = 0.60 a 1.03; houve redução de 4% do risco absoluto de mortalidade por todas as causas no grupo experimental #&091;RR 0.70; IC: 0.60 a 0.83; número necessário para tratar (NNT) = 25#&093;; morte cardíaca súbita mostrou ter diferença estatisticamente significante favorável ao grupo experimental, com redução de 1% do risco absoluto (IC: 0.46 a 0.96; RR 0.67; NNT= 100). Houve redução de 9% do risco absoluto de hospitalização devido a insuficiência cardíaca (RR 0.64; IC: 0.50 a 0.80; NNT =11) no grupo experimental. CONCLUSÕES: Pacientes em TRC tiveram risco de hospitalização por falência cardíaca significativamente mais baixo, mas os índices de mortalidade por insuficiência cardíaca foram semelhantes.

Keywords : Insuficiência cardíaca; Sistema de condução cardíaco; Bloqueio de ramo; Marca-passo artificial; Mortalidade.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English