SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.128 issue5Narrative competence among hearing-impaired and normal-hearing children: analytical cross-sectional studyThe bicuspid aortic valve and related disorders author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

CALEMAN, Gilson et al. Uso de albumina como fator de risco para mortalidade intra-hospitalar em pacientes portadores de queimaduras no Brasil: coorte histórica não concorrente. Sao Paulo Med. J. [online]. 2010, vol.128, n.5, pp.289-295. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31802010000500009.

CONTEXTO E OBJETIVO: Em pacientes queimados é comum o uso de substâncias coloidais sob justificativa de que é necessário corrigir a pressão oncótica do plasma, reduzindo o edema na área queimada e a hipotensão. O objetivo foi avaliar o risco de mortalidade hospitalar, comparando o uso de albumina e soluções cristaloides para esses pacientes. TIPO DE ESTUDO E LOCAL: Estudo coorte histórico não concorrente na Faculdade de Medicina de Marília, no Programa de Pós-Graduação em Medicina Interna e Terapêutica da Universidade Federal de São Paulo e no Centro Cochrane do Brasil. MÉTODOS: Pacientes queimados hospitalizados entre 2000 e 2001, registrados no Sistema de Informações Hospitalares e que receberam albumina foram comparados com aqueles que receberam outros tipos de reposição volêmica. O desfecho primário foi a taxa de mortalidade hospitalar. Os dados foram coletados dos arquivos do programa Datasus. RESULTADOS: Foram incluídos 39.684 pacientes: sendo 24.116 pacientes com queimaduras moderadas e 15.566 pacientes com queimaduras graves. Entre os homens tratados com albumina, o odds ratio para o risco de morte foi 20,58 (intervalo de confiança IC 95% 11,28-37,54) para queimaduras moderadas e 6,24 (IC 5,22-7,45) para queimaduras graves. Entre as mulheres, esse risco foi de 40,97 para queimaduras moderadas (IC 21,71-77,30) e 7,35 para queimaduras graves (IC 5,99-9,01). A força da associação entre o uso de albumina e o risco de morte foi mantida para as outras características estudadas, com significância estatística. CONCLUSÃO: O uso de albumina entre pacientes com queimaduras moderadas e graves foi associado a aumento considerável da mortalidade.

Keywords : Albumina sérica; Queimaduras; Mortalidade; Pacientes internados; Estudos de coortes.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License