SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.132 issue5Relationship between birth weight and overweight/obesity among students in Florianópolis, Santa Catarina, Brazil: a retrospective cohort studyNebivolol reduces central blood pressure in stage I hypertensive patients: experimental single cohort study author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Sao Paulo Medical Journal

Print version ISSN 1516-3180

Abstract

BATISTA, Fernanda Sotello et al. Relação entre força muscular de membros inferiores e independência funcional de idosos segundo critérios de fragilidade: um estudo transversal. Sao Paulo Med. J. [online]. 2014, vol.132, n.5, pp.282-289.  Epub July 22, 2014. ISSN 1516-3180.  http://dx.doi.org/10.1590/1516-3180.2014.1325669.

CONTEXTO E OBJETIVO:

A força muscular e a independência funcional são consideradas indicadores de níveis de fragilidade em idosos. O objetivo foi comparar a força muscular de membros inferiores (FM de MMII) com a independência funcional em função de sexo, idade e número de critérios de fragilidade e verificar a influência dessas variáveis na independência em idosos ambulatoriais.

TIPO DE ESTUDO E LOCAL:

Estudo transversal quantitativo, em hospital terciário.

MÉTODOS:

Estudo realizado entre outubro de 2005 e outubro de 2007 com 150 idosos ambulatoriais de ambos os sexos, com condições cognitivas suficientes para comunicação oral, sendo utilizados os seguintes instrumentos: teste de levantar e sentar da cadeira cinco vezes consecutivas, Medida de Independência Funcional (MIFm) e Escala de Atividades Instrumentais (AIVDt) de Lawton. Foram realizadas análises descritivas, de comparação, multivariadas, univariadas e de alfa de Cronbach.

RESULTADOS:

O tempo médio no teste de levantar e sentar da cadeira foi de 21,7 segundos, a pontuação média da MIFm de 82,2 e da AIVDt de 21,2; 44,7% dos sujeitos apresentaram 1-2 critérios de fragilidade e 55,3% > 3 critérios. Houve associação significativa entre FM de MMII e independência funcional em função do número de critérios de fragilidade, sem homogeneidade em relação ao sexo e idade. A independência funcional sofreu influência significativa de sexo e FM de MMII.

CONCLUSÕES:

Os idosos com um ou dois critérios de fragilidade apresentaram melhor independência em todos os escores do teste de levantar e sentar da cadeira. Os sujeitos com maior FM de MMII apresentaram melhor independência funcional.

Keywords : Idoso; Força muscular; Avaliação da deficiência; Atividades cotidianas; Idoso fragilizado.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )