SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.132 número6Mosaicismo 45,X/46,XY: relato de 14 pacientes de um hospital do Brasil. Um estudo retrospectivo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sao Paulo Medical Journal

versão impressa ISSN 1516-3180

Resumo

DIAS, Daniel Spadoto et al. Repercussões clínicas e psíquicas da ligadura tubária videolaparoscópica: estudo observacional de coorte única, retrospectivo. Sao Paulo Med. J. [online]. 2014, vol.132, n.6, pp.321-331.  Epub 22-Ago-2014. ISSN 1516-3180.  https://doi.org/10.1590/1516-3180-2014-1326687.

CONTEXTO E OBJETIVO:

A ligadura tubária é um dos métodos contraceptivos mais utilizados em todo o mundo. Como a controvérsia sobre seus possíveis efeitos ainda continua, o objetivo deste estudo foi avaliar as repercussões clínicas e psíquicas da laqueadura videolaparoscópica.

TIPO DE ESTUDO E LOCAL:

Estudo observacional de coorte único, retrospectivo, conduzido em hospital público terciário.

MÉTODOS:

Foi aplicado um questionário a 130 mulheres, entre 21-46 anos, submetidas à ligadura tubária videolaparoscópica, pelas técnicas de eletrocoagulação bipolar/secção ou inserção do anel tubário, entre janeiro de 1999 e dezembro de 2007. Nesse questionário avaliou-se: intervalo do ciclo menstrual, intensidade e duração do sangramento, sintomas pré-menstruais, dismenorreia, dispareunia, dor pélvica não cíclica e grau de satisfação sexual. Cada mulher serviu como seu próprio controle, foi realizada análise comparativa entre os períodos pré- e pós-cirúrgico e entre as duas técnicas utilizadas.

RESULTADOS:

As repercussões clínicas e psicológicas mostraram-se significativas, com aumento de sangramento (P = 0,001), de sintomas pré-menstruais (P < 0,001), dismenorreia (P = 0,019), dor pélvica não cíclica (P = 0,001), e redução no número de relações sexuais por semana (P = 0,001) e na libido (P = 0,001). Mulheres com idade ≤ 35 anos, no momento da laqueadura, mostraram-se mais propensas a desenvolverem alterações menstruais. A técnica de eletrocoagulação bipolar mostrou maiores repercussões clínicas e psíquicas.

CONCLUSÃO:

A ligadura tubária videolaparoscópica, independentemente da técnica, repercutiu com aumento do fluxo menstrual e de sintomas pré-menstruais, principalmente em mulheres com idade ≤ 35 anos, tendo também influenciado negativamente na atividade sexual.

Palavras-chave : Serviços de planejamento familiar; Laparoscopia; Distúrbios menstruais; Esterilização reprodutiva; Esterilização tubária.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )