SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número4  suppl.Coeficientes de digestibilidade aparente de ingredientes para juvenis de jundiá índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Zootecnia

versão On-line ISSN 1806-9290

Resumo

FURUYA, Wilson Massamitu et al. Composição centesimal e perfil de ácidos graxos do camarão-d'água-doce. R. Bras. Zootec. [online]. 2006, vol.35, n.4, suppl., pp. 1577-1580. ISSN 1806-9290.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-35982006000600001.

Este estudo foi realizado para determinação da composição centesimal e do perfil de ácidos graxos do camarão-d'água-doce Macrobrachium amazonicum visando à análise de seu potencial nutritivo. Seis lotes (100 g cada um) de camarões inteiros e com massas individuais de 0,9 a 1,2 g foram triturados, armazenados e, posteriormente, analisados quanto aos teores de umidade, cinzas, PB e lipídios totais (70,3; 1,5; 24,8 e 1,5%, respectivamente). Foram detectadas 36 variedades de ácidos graxos, sendo o mais freqüente o ácido palmítico-16:0 (18,2%). Entre os da série ômega-3, os mais encontrados foram o eicosapentaenóico-20:5n-3, di-homo-alfa-linolênico-20:3n-3, docosahexaenóico-22:6n-3 e alfa-linolênico-18:3n-3 (frequências de 13,9; 9,5; 6,8 e 4,2%, respectivamente). As freqüências de somatórias de ácidos graxos foram de 36,9% para os ômega-3 e de 46,8% para os poliinsaturados. As razões entre os ácidos graxos ômega-6/ômega-3 (n-6/n-3) e os ácidos graxos poliinsaturados/ácidos graxos saturados (AGPI/AGS) foram de 0,3 e 1,6, respectivamente. Todos os parâmetros observados indicaram bom potencial nutritivo para a carne do camarão-d'água-doce.

Palavras-chave : ácidos graxos; camarão; composição centesimal; Macrobrachium amazonicum.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português