SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.35 número4  suppl.Deposição de proteínas no fêmur de frangos de corte em função do balanço eletrolítico das dietasComportamento de suínos submetidos a diferentes sistemas de pastejo em pastagem de trevo-branco índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Zootecnia

versão impressa ISSN 1516-3598versão On-line ISSN 1806-9290

Resumo

AGUINAGA, Angelo Antonio Queirolo et al. Produção de novilhos superprecoces em pastagem de aveia e azevém submetida a diferentes alturas de manejo. R. Bras. Zootec. [online]. 2006, vol.35, n.4, suppl., pp.1765-1773. ISSN 1516-3598.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-35982006000600026.

Foram avaliadas a produção e as características de carcaças de novilhos jovens mantidos em pastagem cultivada de aveia preta (Avena strigosa Schreb) e azevém (Lolium multiflorum Lam) manejada em diferentes alturas. Os tratamentos impostos foram quatro diferentes alturas de manejo da pastagem (10, 20, 30 e 40 cm), obtidas por meio da aplicação de diferentes cargas animais. O delineamento foi o de blocos casualizados, com três repetições. Utilizaram-se animais jovens de aproximadamente dez meses de idade, machos castrados sem padrão racial definido, com peso médio inicial de 210 kg. O aumento no ganho médio diário (GMD) foi condicionado pelo incremento na qualidade e/ou na quantidade de forragem disponível, visto que as ofertas de forragem para os tratamentos de 10, 20, 30 e 40 cm de altura foram de 6, 10, 23 e 51 kg de MS/100 kg de PV/dia, respectivamente. Portanto, o modelo de resposta do GMD em relação às alturas de pastejo resultou em valores de 0,73 e 1,14 kg/animal/dia nos tratamentos de menor e maior GMD, respectivamente, que foram de 10 e 30 cm de altura. Como a variação no GMD foi baixa, o maior ganho por área observado no tratamento 10 cm pode ser atribuído à maior carga animal, ambas com respostas lineares decrescendo com o aumento da altura de pastejo. O peso vivo dos animais antes do abate e o peso de carcaça quente elevaram com o aumento da altura da pastagem, reduzindo apenas no tratamento 40 cm com a redução da qualidade da pastagem. Não houve diferença entre os tratamentos para o rendimento de carcaça, pois todos os valores mantiveram-se em torno de 51%. O escore de condição corporal e o grau de acabamento apresentaram tendência muito similar à evolução do ganho médio diário dos animais.

Palavras-chave : altura da pastagem; carga animal; ganho médio diário; ganho por área; oferta de forragem.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons