SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número6Palma forrageira em substituição ao feno de capim-elefante: efeito sobre consumo, digestibilidade e características de fermentação ruminal em ovinosDesempenho e rendimento de carcaça de bovinos mestiços alimentados com diferentes volumosos e fontes protéicas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Zootecnia

versão On-line ISSN 1806-9290

Resumo

MACEDO, César Augusto Barbosa de et al. Comportamento ingestivo de ovinos recebendo dietas com diferentes níveis de bagaço de laranja em substituição à silagem de sorgo na ração. R. Bras. Zootec. [online]. 2007, vol.36, n.6, pp. 1910-1916. ISSN 1806-9290.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-35982007000800027.

O objetivo neste estudo foi avaliar os efeitos de dietas com diferentes níveis de bagaço de laranja em substituição à silagem de sorgo sobre o comportamento ingestivo de ovinos (alimentação, ruminação e ócio) em ovinos. Dezesseis ovinos machos mestiços, com peso médio de 28,27 kg (±2,41) foram distribuídos em delineamento experimental em blocos casualizados com quatro tratamentos (0, 25, 50 e 75%), dois blocos e duas repetições por bloco. Os animais foram submetidos à observação visual durante dois dias consecutivos. No primeiro dia, os animais foram avaliados durante três períodos (8 às 10 h, 14 às 16 h e 18 às 20 h), estimando-se a média do número de mastigações merícicas por bolo ruminal e a média do tempo despendido de mastigação merícica por bolo ruminal, utilizando-se cronômetro digital. No segundo dia, o comportamento ingestivo de cada ovino foi determinado visualmente, a intervalos de cinco minutos, durante 24 horas, para determinação do tempo despendido em ócio, alimentação e ruminação. Não houve diferença entre os tratamentos, para o tempo despendido em alimentação, em min/dia e min/kg de MS e FDN. Os tempos despendidos em ruminação e ócio apresentaram efeitos quadráticos em função da inclusão de bagaço de laranja nas dietas. O tempo de ruminação em min/kg de MS apresentou efeito linear decrescente, logo, o tempo de ruminação em min/kg FDN não apresentou diferença significativa. Não se observou diferença para o número de refeições/dia, o tempo de mastigação total, os números de bolos ruminais, o número de mastigações por bolo e o tempo de mastigação por bolo. Os números de períodos ruminais e de mastigações merícicas por dia apresentaram comportamento linear decrescente.

Palavras-chave : alimentação; ócio; ruminação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português