SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 número2Depressão bipolar: a importância da remissãoDemora na procura por tratamento pelos familiares de pacientes após um primeiro episódio psicótico índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Psychiatry

versão impressa ISSN 1516-4446versão On-line ISSN 1809-452X

Resumo

CIGOGNINI, Marco Aurélio  e  FURLANETTO, Letícia Maria. Diagnóstico e tratamento dos transtornos depressivos em hospital geral. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2006, vol.28, n.2, pp.97-103. ISSN 1809-452X.  https://doi.org/10.1590/S1516-44462006000200005.

OBJETIVO: Identificar a prevalência de transtornos depressivos em pacientes internados em enfermarias clínicas de um hospital geral, avaliar o tratamento psicofarmacológico recebido e detectar fatores sociodemográficos e clínicos associados. MÉTODO: Realizou-se um estudo observacional transversal identificando a prevalência de transtornos depressivos e fatores associados juntamente com estudo longitudinal prospectivo avaliando o tratamento psicofarmacológico recebido durante a internação. Foram selecionados pacientes com mais de 18 anos, que apresentavam condições para a entrevista e que consentiram. A amostra foi composta por 125 pessoas. Aplicaram-se os seguintes instrumentos: questionário com variáveis sociodemográficas; coleta de informações sobre história médica, psiquiátrica e familiar; questionário sobre uso de psicofármacos; Mini International Neuropsychiatric Interview; e Inventário Beck de Depressão. O estudo realizou-se no Hospital Santa Isabel, Blumenau-SC, de janeiro a julho de 2002. RESULTADOS: A prevalência de transtornos depressivos foi de 26%. Somente 43,8% dos indivíduos com transtornos depressivos receberam antidepressivos. A maioria dos deprimidos utilizou benzodiazepínicos (62,5%). Dentre os psicofármacos, destacaram-se o diazepam e a fluoxetina. Fatores associados foram: sexo feminino, renda menor que três salários mínimos, história prévia de depressão, uso de psicofármacos, Inventário Beck de Depressão maior que 13 e pedido de interconsulta psiquiátrica (p < 0,05). CONCLUSÕES: Cerca de ¼ dos pacientes internados em enfermaria clínicas de um hospital geral apresentaram diagnóstico de transtornos depressivos. Entretanto, menos da metade recebeu tratamento com antidepressivo. As mulheres com história prévia de depressão, baixa renda e em uso de benzodiazepínicos tiveram taxas significativamente maiores de transtornos depressivos. Os médicos deveriam suspeitar de transtornos depressivos em pacientes com essas características.

Palavras-chave : Transtorno depressivo; Hospital geral; Tempo de internação; Prevalência; Psicotrópicos.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons