SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número1A percepção popular sobre a dependência alcoólicaPerfil nosológico e prevalência de transtornos mentais comuns em pacientes atendidos em unidades do Programa de Saúde da Família (PSF) em Petrópolis, Rio de Janeiro índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista Brasileira de Psiquiatria

versão impressa ISSN 1516-4446

Resumo

BALTIERI, Danilo Antonio  e  ANDRADE, Arthur Guerra de. Comparando agressores sexuais seriais e não seriais: consumo de álcool e outras drogas, impulsividade e história de abuso sexual. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2008, vol.30, n.1, pp. 25-31.  Epub 20-Dez-2007. ISSN 1516-4446.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462006005000067.

OBJETIVO: Avaliar diferenças entre agressores sexuais seriais e não seriais em termos de consumo de álcool e de outras drogas, impulsividade e história pessoal de abuso sexual. MÉTODO: Trata-se de estudo transversal e retrospectivo realizado pelo Ambulatório de Transtornos da Sexualidade da Disciplina de Psiquiatria da Faculdade de Medicina do ABC - Santo André, São Paulo (ABSex). Três grupos de sujeitos (n = 198), consistindo em agressores sexuais de uma vítima, duas vítimas e três ou mais vítimas, foram examinados. Os sentenciados apenas por crimes sexuais foram avaliados através dos seguintes instrumentos: Drug Addiction Screening Test,CAGE Questionnaire,Short Alcohol Dependence Data, Escala de Impulsividade de Barratt, Escala de Rastreamento para Dependência de Sexo e Static-99. RESULTADOS: Agressores sexuais de três ou mais vítimas mostraram maior freqüência de história de abuso sexual na infância do que agressores de apenas uma vítima. A análise de variância (ANOVA - One-Way) indicou que os agressores sexuais de três ou mais vítimas mostraram significativamente maiores escores nas Escalas de Impulsividade de Barratt e de Rastreamento para Dependência de Sexo do que os agressores de uma vítima. Após realização de análise de regressão logística multinomial, a Escala de Impulsividade de Barratt e a história de abuso sexual foram fatores preditores para o grupo dos agressores de três ou mais vítimas em relação aos agressores de uma vítima. CONCLUSÕES: Agressores sexuais de três ou mais vítimas apresentam características diferentes dos outros grupos de agressores sexuais estudados, e tais achados podem auxiliar no desenvolvimento de propostas de manejo destes tipos de apenados.

Palavras-chave : Violência sexual; Agressor sexual; Comportamento social; Alcoolismo; Drogas ilícitas.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês