SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número4Verificação da interferência das disfunções temporomandibulares na articulação da fala: queixas e caracterização dos movimentos mandibulares índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 1982-0232

Resumo

BEFI-LOPES, Debora Maria et al. Perfil comunicativo de crianças com alterações específicas no desenvolvimento da linguagem: caracterização longitudinal das habilidades pragmáticas. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [online]. 2007, vol.12, n.4, pp.265-273. ISSN 1982-0232.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342007000400003.

OBJETIVO: Analisar o desempenho longitudinal de crianças com Alterações Específicas no Desenvolvimento da Linguagem (AEDL) em uma prova de Pragmática a fim de observar o desenvolvimento da competência comunicativa ao longo do processo terapêutico. MÉTODOS: Participaram desta pesquisa 56 crianças de ambos os sexos, com idades entre 1;10 (anos;meses) a 5;11 na primeira avaliação. Todos os sujeitos foram diagnosticados com AEDL e estavam/estiveram em terapia fonoaudiológica por pelo menos dois anos ou receberam alta antes deste período. As provas de Pragmática que faziam parte das avaliações anuais dos pacientes foram analisadas e pontuadas de 0 a 4 (pior ao melhor desempenho, respectivamente) com base em critérios de gravidade. Os resultados foram tratados estatisticamente (pd"0,05; ANOVA, Tukey-T, Pearson). RESULTADOS: A idade das crianças com AEDL no momento do ingresso no serviço não foi uma variável relevante para determinar seus desempenhos na primeira avaliação de Pragmática, exceto para a idade de um ano (p=0,02), nem para predizer o tempo de terapia necessário para que eles normalizassem suas habilidades pragmáticas (p=0,72). As crianças que atingiram os critérios de normalidade para a prova (64,3%) apresentaram um desempenho inicial melhor do que os sujeitos que não normalizaram seus desempenhos até o momento da coleta (p=0,01). Finalmente, enquanto o meio comunicativo foi o parâmetro que mais melhorou após terapia fonoaudiológica, o número de atos por minuto foi a variável cujo prejuízo mostrou-se mais persistente. CONCLUSÃO: O desempenho inicial das crianças com AEDL foi a variável que melhor predisse a normalização das habilidades pragmáticas dos sujeitos (64,3%), após terapia fonoaudiológica.

Palavras-chave : Desenvolvimento da linguagem; Transtornos do desenvolvimento da linguagem [fisiopatologia]; Transtornos do desenvolvimento da linguagem [terapia]; Comportamento verbal; Comunicação; Testes de linguagem.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons