SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 número2Perfil de desempenho em teste de triagem de processamento auditivo (SCAN) em crianças de sete e oito anos residentes em CuiabáExaminando o desenho infantil como recurso terapêutico para o desenvolvimento de linguagem de crianças surdas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão On-line ISSN 1982-0232

Resumo

FRIAS, Vivian Alvina de Camargo et al. Distúrbios de leitura e escrita em portadora do vírus da imunodeficiência humana: estudo de caso. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [online]. 2008, vol.13, n.2, pp.179-185. ISSN 1982-0232.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342008000200013.

Este artigo tem por objetivo descrever o caso de uma criança soropositiva para o para o vírus da imunodeficiência humana com distúrbios de leitura e escrita, analisando as estratégias mais funcionais e os resultados obtidos nas avaliações pré e pós-terapia fonoaudiológica. Foi aplicado um programa terapêutico fonoaudiológico fechado (15 sessões), com duração de 50 minutos, semanalmente, em uma criança do sexo feminino com 11 anos de idade, paciente do Laboratório de Investigação Fonoaudiológica em Leitura e Escrita. Foram utilizadas estratégias variadas enfocando as áreas de processamento auditivo, consciência fonológica e fonêmica, leitura e escrita. Ao início e término do referido programa, foram realizadas avaliações de linguagem escrita e exames audiológicos. Após as 15 sessões, verificou-se melhora tanto na decodificação de palavras e produção escrita de pequenos textos (adequados do ponto de vista da competência genérica) como no processamento da informação auditiva. As estratégias mais motivadoras foram: atividades com poemas infantis, atividades no computador, palavras cruzadas, caça-palavras e jogo de histórias escritas para complementação. No caso em questão, trabalhar com estratégias dentro do foco de interesse da criança e balancear o novo com o desconhecido contribuíram para o sucesso funcional do processo terapêutico em leitura e escrita. A avaliação audiológica (comportamental, eletroacústica e eletrofisiológica), antes e após um programa terapêutico fechado, é importante, pois é fundamental para monitorar a evolução terapêutica, bem como para avaliar a relevância desse programa.

Palavras-chave : HIV; Leitura; Terapia da linguagem; Transtornos de aprendizagem; Reabilitação dos transtornos da fala e da linguagem; Criança.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons