SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 issue3Students with autistic spectrum disorders in the interaction with teachers in inclusive education: description of pragmatic skillsConsiderations about the role of a speech-language pathologist with the family of a child with Pervasive Development Disorder: case report author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

Print version ISSN 1516-8034

Abstract

MOREIRA, Camila Ramos  and  FERNANDES, Fernanda Dreux Miranda. Avaliação da comunicação no espectro autístico: interferência da familiaridade no desempenho de linguagem. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [online]. 2010, vol.15, n.3, pp. 430-435. ISSN 1516-8034.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342010000300019.

OBJETIVO: Analisar a interferência da familiaridade da situação de avaliação na funcionalidade da comunicação de sujeitos com diagnóstico incluído no Espectro Autístico, buscando o melhor procedimento para avaliação da comunicação desta população. MÉTODOS: Participaram da presente pesquisa 18 sujeitos com diagnóstico incluído nos Distúrbios do Espectro Autístico, com idades entre três anos e 11 meses e 17 anos e 11 meses, com média etária de oito anos e nove meses (DP: 3,6 anos). Inicialmente foi realizada a filmagem da interação de cada participante com sua terapeuta em situação rotineira de avaliação (Situação Familiar), semelhante às sessões semanais de atendimento, e nas sessões seguintes foi realizada outra filmagem de cada sujeito em interação com uma fonoaudióloga não-familiar, com materiais lúdicos pré-determinados (Situação Não-Familiar). Os dados de interação foram transcritos e analisados e as variáveis foram selecionadas a partir do protocolo do Perfil Funcional da Comunicação (PFC). RESULTADOS: A comparação entre as situações demonstrou diferença apenas para quatro variáveis (23%), dentre as dezessete analisadas; três dessas mostraram resultado superior na Situação Familiar: atos comunicativos expressados por minuto, número de respostas e porcentagem de utilização da função comunicativa Não-Focalizada, e uma delas se mostrou superior na Situação Não-Familiar: porcentagem de utilização da função comunicativa Jogo. CONCLUSÃO: A interferência da familiaridade da situação comunicativa no desempenho comunicativo de sujeitos autistas é mínima, sendo que o procedimento de avaliação nos mesmos moldes da Situação Familiar mostrou-se ligeiramente melhor para a avaliação da comunicação dessa população.

Keywords : Transtorno autístico; Transtornos da linguagem; Avaliação; Comunicação; Testes de linguagem; Linguagem; Recognição (Psicologia).

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese