SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.17 número1Limitação de atividades em idosos: estudo em novos usuários de próteses auditivas por meio do questionário APHABFones de inserção: aplicação no colabamento de meato acústico externo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia

versão impressa ISSN 1516-8034

Resumo

YAMAMOTO, Marcelo Eiji Inoue  e  GANANCA, Cristina Freitas. Posturografia com estímulos de realidade virtual nas diferentes disfunções vestibulares. Rev. soc. bras. fonoaudiol. [online]. 2012, vol.17, n.1, pp. 54-60. ISSN 1516-8034.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342012000100011.

OBJETIVO: Avaliar o equilíbrio corporal e quantificar possíveis alterações na posturografia estática do Balance Rehabilitation Unit (BRUTM) em pacientes com disfunção vestibular. MÉTODOS: Estudo retrospectivo, com prontuários de 100 pacientes com topodiagnóstico de disfunção vestibular periférica ou central e 100 indivíduos hígidos compondo o Grupo Controle, de ambos os gêneros, entre 7 a 86 anos. Para a posturografia foi utilizado o equipamento Balance Rehabilitation Unit (BRUTM), da Medicaa®. Foram analisados os parâmetros limite de estabilidade, área de elipse e velocidade de oscilação em dez condições sensoriais. RESULTADOS: A média dos valores do limite de estabilidade, da área de elipse e da velocidade de oscilação do Grupo Experimental foi significativa em relação ao Grupo Controle em todas as condições. A média dos parâmetros do gênero feminino do Grupo Experimental foi significativa em relação ao do Grupo Controle em todas as condições avaliadas. Os pacientes com disfunção vestibular central obtiveram maiores valores que os pacientes com disfunção vestibular periférica nas variáveis área de elipse e velocidade de oscilação, porém menor valor da área do limite de estabilidade. CONCLUSÃO: A posturografia com estímulos de realidade virtual foi um método de avaliação eficaz para detectar alterações relacionadas às variáveis limite de estabilidade, área de elipse e velocidade de oscilação, uma vez que o Grupo Controle obteve melhor desempenho, tanto entre os grupos quanto entre os gêneros. Entre as disfunções vestibulares, os indivíduos com acometimento periférico obtiveram melhor desempenho do que os indivíduos com disfunção vestibular central em todas as variáveis analisadas na posturografia.

Palavras-chave : Doenças vestibulares; Equilíbrio postural; Tontura; Testes de função vestibular; Vestíbulo do labirinto [patologia].

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · pdf em Português | Inglês