SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 issue2Familiar tracking of factor V Leiden: the importance of detection in heterozygous carriersEvaluation of the importance of Perls stain in the routine testing of myelograms of patients with anemia associated with one or more peripheral blood cytopenias author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia

Print version ISSN 1516-8484

Abstract

MUNHOZ, Terezinha P.; SCHEIBE, Rosane M.  and  SCHMITT, Virgínia M.. Genótipo DD da enzima conversora de angiotensina (ECA): relação com trombose venosa. Rev. Bras. Hematol. Hemoter. [online]. 2005, vol.27, n.2, pp. 87-90. ISSN 1516-8484.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-84842005000200006.

O troemboembolismo venoso (TEV) é uma doença multifatorial associada com fatores de risco adquiridos e hereditários. Vários polimorfismos, tais como fator V de Leiden, mutação G20210A da protrombina e as deficiências de proteína C, proteína S e anti-trombina são considerados fatores de risco para TEV. A enzima conversora da angiotensina (ECA) afeta a hemostasia diminuindo a fibrinólise. O polimorfismo no gene da ECA, caracterizado pela inserção/deleção de um fragmento de 287 pb no intron16, está relacionado a variações nos níveis séricos da enzima. O genótipo DD foi associado com aumento de risco para TEV. Este estudo examinou a freqüência dos alelos I e D e a sua associação com trombose venosa em um grupo de indivíduos do Sul do Brasil. Foram analisados 71 pacientes com trombose venosa profunda e/ou tromboembolismo pulmonar e 71 indivíduos sem história de trombose. A genotipagem foi realizada através da reação em cadeia da polimerase. As freqüências do alelo D e do genótipo DD foram, respectivamente, 51,4% e 22,5% para os pacientes, e 64,7% e 45,0% para os controles. A razão de chance (odds ratio = OR) para a hipótese dominante (genótipos DD+ID versus genótipo II) foi 0,75 (IC 95%; 0,29-1,93) e a OR para a hipótese recessiva (genótipo DD versus genótipos ID+II) foi 0,35 (IC 95%; 0,16-0,78). Concluindo, nossos resultados sugerem que o genótipo DD não representa um fator de risco para TEV e pode exercer um efeito protetor para trombose venosa.

Keywords : ECA; fibrinólise; tromboembolismo venoso.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English