SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.44 issue4Faecal fat excretion of mice (Rattus norvegicus, Wistar), submitted to hypercholesterolemic and hyperlipidic diets supplemented with chitosanAntiamnesic evaluation of C. phlomidis Linn. bark extract in mice author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas

Print version ISSN 1516-9332

Abstract

ARAUJO, Adriano Antunes S. et al. Atividade antinociceptiva e estudo toxicológico de extrato aquoso de Egletes viscosa Lessa (Asteraceae). Rev. Bras. Cienc. Farm. [online]. 2008, vol.44, n.4, pp. 707-715. ISSN 1516-9332.  http://dx.doi.org/10.1590/S1516-93322008000400018.

Egletes viscosa Less (Asteraceae), popularmente conhecida como "macela" ou "macela-da-terra", é uma planta largamente usada na medicina popular devido as suas propriedades: anti-inflamatória, bactericida, antidiarréica, mio-relaxante, anti-espasmódica, antinociceptiva, digestiva e anti-viral. Análise fitoquímica do extrato aquoso da Egletes viscosa (AEEV) mostrou elevada presença de flavonóides. Este estudo examinou o potencial antinociceptivo do AEEV em roedores usando diferentes concentrações (100, 200 and 400 mg/kg, p.o.). Os resultados mostraram significante efeito antinociceptivo quando testadas as doses (200 mg/kg-p<0.01; 400 mg/kg-p<0.05) e na segunda fase dos testes com formalina (200 and 400 mg/kg-p<0.001). Este efeito antinociceptivo foi similar ao ácido acetilsalicílico (300 mg/kg) nas doses de 200 e 400 mg/kg. Adicionalmente, estas observações sugerem que o AEEV é efetivo contra dores inflamatórias contínuas. AEEV foi bem tolerada. No teste de toxicidade aguda, utilizando uma administração oral de 5 g/kg de AEEV, não foi observado casos de mortalidade. Da mesma maneira, no estudo subcrônico nenhuma mortalidade foi observada após 30 dias de administração oral diária de 100 mg/kg do AEEV. Não houve diferença significativa entre os pesos corporal e dos órgãos isolados quando comparados grupo controle e teste tanto no estudo agudo quanto subcrônico. Ensaios histopatológicos não revelaram diferenças entre a aparência dos tecidos, assim como na estrutura celular dos órgãos dos animais do estudo agudo e subcrônico. No entanto, diferenças significativas foram verificadas entre os machos do grupo experimental e controle quanto à hemoglobina e leucócitos. Conclui-se que o extrato estudado não induziu nenhum risco na maioria dos parâmetros avaliados e, ainda, mostrou efeito antinociceptivo. No entanto, o aumento dos níveis de hemoglobina e leucócitos devem ser melhor investigados.

Keywords : Egletes viscosa [farmacognosia]; Egletes viscosa [estudo experimental]; Egletes viscosa [efeito antinocicepitivo]; Triagem fitoquímica.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English