SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.14 issue31Empirical methods in minority aging research: the case for sociological triangulationCitizenship as a co-construction of spaces for participation in the public sphere author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Sociologias

Print version ISSN 1517-4522

Abstract

GAHYVA, Helga. De Boulainvilliers a Tocqueville: da liberdade como defesa de privilégios à liberdade como defesa de diferenças. Sociologias [online]. 2012, vol.14, n.31, pp. 168-190. ISSN 1517-4522.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222012000300008.

Desde meados da segunda metade do século XX, parte expressiva do pensamento social e político vem conferindo destaque à obra de Alexis de Tocqueville. Nesta etapa, sua reflexão é revista nos marcos da democracia liberal: haveria em sua abordagem preciosas sugestões quanto aos dilemas das democracias modernas. Tal percepção, porém, pressupõe certo nexo entre os conceitos de liberalismo e democracia distante do universo intelectual próprio às preocupações tocquevillianas. Pretende-se, neste artigo, apontar o viés conservador subjacente às análises de Tocqueville. Para tanto, sua obra será interpretada à luz da tradição liberal francesa na qual ela se insere, e que remonta à Querela das duas raças, protagonizada por Henri de Boulainvilliers no crepúsculo do século XVII. Trata-se da gênese de uma tripla polaridade que informa Tocqueville: em um eixo positivo, liberdade, heterogeneidade e descentralização; no negativo, igualdade, homogeneidade e centralização.

Keywords : Pensamento conservador; Democracia; Germanismo; Século XIX; Liberalismo.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese