SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número42Desigualdades urbanas e desigualdades sociais nas metrópoles brasileirasMulticulturalismos: essencialismo e antiessencialismo em Kymlicka, Young e Parekh índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sociologias

versão impressa ISSN 1517-4522versão On-line ISSN 1807-0337

Resumo

BOSCO, Estevão  e  FERREIRA, Leila. Sociedade mundial de risco: teoria, críticas e desafios. Sociologias [online]. 2016, vol.18, n.42, pp.232-264. ISSN 1517-4522.  http://dx.doi.org/10.1590/15174522-018004211.

O artigo delineia contradições internas, insuficiências teóricas, inovações e desafios colocados para a sociologia pela teoria da sociedade mundial de risco, formulada por Ulrich Beck. Para tanto, orientamo-nos por uma breve reconstrução da história dessa teoria, situando algumas de suas principais inovações. Em seguida, voltamo-nos para duas críticas consolidadas, nomeadamente a crítica à sua fundação histórico-lógica no cosmopolitismo e a crítica epistêmica formulada por teóricos sociais pós-coloniais. Num terceiro momento, a estratégia metodológica da reconstrução nos permite identificar uma contradição interna entre a fundação da referida teoria no cosmopolitismo metodológico e o diagnóstico dos riscos globais, tendo em vista a tipologia à que este último dá forma. E finalmente, formulamos algumas observações críticas, apontamos alguns desafios colocados para a sociologia e sugerimos reorientações de suas perguntas-chave a partir das críticas mencionadas e da intuição teórico-empírica de uma hermenêutica do risco, da reflexividade e da cosmopolitização ainda por fazer.

Palavras-chave : Sociedade mundial de risco. Cosmopolitismo Metodológico. Beck; Ulrich (1944-2015)..

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )