SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.18 número43A questão negra entre continentes: possibilidades de tradução intercultural a partir das práticas de luta?Henri Lefebvre and the social space: contributions to the analysis of institutionalization processes of Latin America’s social movements - Tupac Amaru neighborhood organization (Jujuy-Argentina) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Sociologias

versão impressa ISSN 1517-4522versão On-line ISSN 1807-0337

Resumo

NUNES, João Arriscado  e  SIQUEIRA-SILVA, Raquel. Dos “abismos do inconsciente” às razões da diferença: criação estética e descolonização da desrazão na Reforma Psiquiátrica Brasileira. Sociologias [online]. 2016, vol.18, n.43, pp.208-237. ISSN 1517-4522.  https://doi.org/10.1590/15174522-018004308.

O conceito de linha abissal, de Boaventura de Sousa Santos, assinala a divisão do mundo em zonas “civilizadas” e “selvagens”. A desumanização associada à atribuição de desrazão, loucura ou alienação e, mais recentemente, de distúrbio ou transtorno mental aparece como expressão dessa linha abissal. Uma das respostas mais radicais e criativas a essa desumanização assumiu formas inovadoras de ação coletiva e de redefinição do espaço dos saberes e modos de expressão no quadro da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Este processo - aqui discutido a partir das produções e práticas de grupos musicais - tornou possível, em particular, o reconhecimento da dimensão estética como elemento central da descolonização dos saberes e práticas da saúde mental, e da invenção de ecologias de saberes que descentram radicalmente a autoridade dos saberes hegemônicos1.

Palavras-chave : Saúde mental; Linha abissal; Reforma Psiquiátrica Brasileira; Estética; Grupos musicais; Ecologia de saberes.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )