SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 número4Estudo laboratorial de um solo tropical granular estabilizado quimicamente para fins de pavimentaçãoAvaliação do diafragma piezelétrico de baixo custo no monitoramento do processo de retificação plana tangencial índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Matéria (Rio de Janeiro)

versão On-line ISSN 1517-7076

Resumo

SILVA, Cristina Mendes da; CUNHA, Tiago Vieira da  e  MIKOWSKI, Alexandre. Análise mecânica e microestrutural de soldas produzidas pelo processo de arco submerso com pulsação ultrassônica da corrente. Matéria (Rio J.) [online]. 2017, vol.22, n.4, e-11896.  Epub 02-Out-2017. ISSN 1517-7076.  http://dx.doi.org/10.1590/s1517-707620170004.0230.

Este trabalho tem como objetivo realizar a caracterização de cordões de solda obtidos por soldagem a arco submerso empregando corrente pulsada em frequências ultrassônicas (acima de 20 kHz). Para tanto, foram realizadas soldas em chapas de aço carbono ASTM A36, variando-se a corrente e a frequência de pulsação ultrassônica em 25 e 50 A e 20, 50 e 80 kHz, respectivamente. Foram realizadas análises de microscopia óptica e eletrônica de varredura, além de ensaios mecânicos de microdureza Vickers e Charpy. Como resultado, foi verificado que o emprego da pulsação ultrassônica da corrente resulta no aparecimento de placas laterais de ferrita Widmanstatten secundária na zona fundida, enquanto que na ZAC-GG, além do surgimento desta microestrutura houve o crescimento de grão conforme o aumento da frequência de pulsação ultrassônica. Em relação aos resultados dos ensaios Charpy, à temperatura ambiente a energia absorvida ao impacto foi crescente conforme o aumento da amplitude da corrente e frequência de pulsação ultrassônica, enquanto que para a temperatura subzero esse nível crescente de energia absorvida média foi perceptível apenas para a amplitude de 25 A. Estes resultados reforçam a hipótese de que o crescimento de grão pode ser devido ao resfriamento mais lento da solda, enquanto que a mudança microestrutural observada, ao efeito de propagação da energia ultrassônica no material.

Palavras-chave : Arco Submerso; Corrente pulsada; Frequências ultrassônicas; ASTM A36; Alterações microestruturais.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )