SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.16 issue3Micro-morphological analisys of enamel and dentin exposed to picosecond-pulsed Nd: YAG laserIntegrated approach to the oral health of drug-addicted undergoing rehabilitation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Pesquisa Odontológica Brasileira

Print version ISSN 1517-7491

Abstract

MARTINEZ, Aurora Esmeralda Traverso; SILVERIO, Karina Gonzales  and  ROSSA JUNIOR, Carlos. Efeito da nicotina na viabilidade e morfologia de fibroblastos: estudo in vitro. Pesqui. Odontol. Bras. [online]. 2002, vol.16, n.3, pp. 234-238. ISSN 1517-7491.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-74912002000300009.

O objetivo do estudo foi avaliar in vitro o efeito da nicotina sobre a viabilidade e a morfologia celular utilizando-se uma linhagem contínua de fibroblastos. Para tal, foram formados dois grupos experimentais segundo a dose (0 - controle, 10 mg, 100 mg, 0,5 mg, 1 mg) e o tempo de condicionamento (1 e 24 horas). Cada um dos 12 orifícios de uma placa para cultura celular recebeu 2 ml de meio de Eagle, e 1 ml de suspensão de meio de cultura contendo aproximadamente 1 ´ 105 células/ml. Foi, então, acrescentada a solução de nicotina nas diferentes concentrações. Após o condicionamento com a droga, nos dois períodos testados, as células foram coradas com azul de trypan 0,4%, e observadas em microscópio invertido por um examinador cego para os grupos experimentais, que avaliou a viabilidade e a morfologia segundo o índice de Gamal. Os experimentos foram repetidos 5 vezes. Quanto à morfologia, os resultados obtidos demonstraram, no grupo condicionado por 1 h, que os controles apresentaram diferenças estatisticamente significantes em relação apenas à maior dose de nicotina; no entanto, foram encontradas diferenças estatisticamente significantes entre o controle e todas as concentrações após 24 horas de condicionamento. Na viabilidade celular, um maior número de células não viáveis foi observado nas diferentes concentrações de nicotina em comparação aos controles tanto após 1 quanto 24 horas de condicionamento (p < 0,05). Em ambos períodos existiu uma tendência significativa de aumento do número de células não viáveis com o aumento da dose de nicotina (p = 0,0053; p = 0,00001 após 1 e 24 h respectivamente). Portanto, conclui-se que a nicotina pode alterar, in vitro, a viabilidade e a morfologia de fibroblastos de forma proporcional à dose e ao tempo de exposição.

Keywords : Nicotina, efeitos adversos; Fibroblastos; Tabaco.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese