SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número4Comparação entre métodos de extração de DNA e caldos de enriquecimento seletivo na detecção de Salmonella Typhimurium em fezes de suínos pela reação em cadeia da polimerase (PCR)Detecção de Salmonella sp. em amostras de origem suína: comparação entre a técnica da Reação em Cadeia da Polimerase e o isolamento bacteriano convencional índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Microbiology

versão impressa ISSN 1517-8382versão On-line ISSN 1678-4405

Resumo

GARCIA, Marcos Valerio et al. Mecanismo de infecção e colonização de ovos de Rhipicephalus sanguineus por Metarhizium anisopliae, revelado por microscopia eletrônica de varredura e histopatologia. Braz. J. Microbiol. [online]. 2005, vol.36, n.4, pp.368-372. ISSN 1517-8382.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822005000400012.

O presente trabalho teve como objetivo verificar a forma de penetração do fungo Metarhizium anisopliae em ovos do carrapato Rhipicephalus sanguineus, assim como as lesões infringidas no interior do ovo. A aderência e penetração do fungo foram estudadas por meio da microscopia eletrônica de varredura e a ação do fungo nos tecidos internos avaliada em secções histológicas convencionais. Para observação destes eventos, realizaram-se infecções experimentais em 11 grupos de ovos do R. sanguineus contendo 25 mg cada. Os ovos foram banhados durante 3 minutos, sob agitação manual, em suspensão com concentração de 108 conídios/mL. Nos grupos controle o banho foi realizado apenas no veículo da suspensão. Os ovos foram processados para análise histopatológica e microscopia eletrônica de varredura nos seguintes tempos após a infecção: 1 e 18h, e um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, nove e onze dias. Observou-se grande germinação de conídios em 67% dos ovos 18h após a inoculação e o fungo penetrou em 92,6% dos ovos 5 dias após a infecção. A extrusão do patógeno ocorreu em 87% dos ovos 7 dias após a infecção, chegando a 100% no 9º dia. Nas análises histopatológicas não foram observadas lesões dignas de nota, porem deve-se ressaltar que houve significativa redução (53,9%) na eclosão a partir dos ovos infectados.

Palavras-chave : controle biológico; controle microbiano; fungo entomopatogênico; carrapato.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons