SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.36 número4Seleção de microorganismos produtores de cutinaseEfeito de bactérias láticas na extensâo da vida de parateleira e multiplicação de Listeria monocytogenes em fatias de carne bovina armazenadas em atmosfera rica em CO2 índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Microbiology

versão impressa ISSN 1517-8382versão On-line ISSN 1678-4405

Resumo

SILVA, Gervásio P. da; ARAUJO, Elza F. de; SILVA, Daison O.  e  GUIMARAES, Walter V.. Fermentação etanólica de sacarose, caldo de cana-de-açúcar e de melaço por Escherichia coli KO11 e Klebsiella oxytoca P2. Braz. J. Microbiol. [online]. 2005, vol.36, n.4, pp.395-404. ISSN 1517-8382.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822005000400017.

As bactérias recombinantes Escherichia coli KO11 e Klebsiella oxytoca P2 fermentaram sacarose a etanol. Em meio mínimo com 2% ou 12% de sacarose, KO11 apresentou, respectivamente, 75% e 41% do rendimento máximo teórico (0,54g de etanol/g de sacarose). No caldo Luria-Bertani (LB) com até 8% de sacarose, KO11 apresentou rendimento de aproximadamente 94-96% e com 12% de sacarose, KO11 apresentou cerca de 69% de rendimento (44,5g de etanol/L). A porcentagem do rendimento máximo teórico obtida com P2 em meio mínimo com 2% de sacarose foi de 55% e com 12% de sacarose foi de 47%. Em LB com 2 ou 4% de sacarose, P2 apresentou 94-95% do rendimento máximo teórico, porém somente cerca de 73% com 8% de sacarose (31,4g de etanol/L) e 58% com 12% de sacarose (37,5 g/L). A produtividade volumétrica em LB contendo 2% de sacarose foi de 0,41 g/L/h para KO11 e de 1,1 g/L/h para P2, enquanto que em LB com 12% de sacarose, a produtividade foi 0,96 g/L/h (KO11) e 1,4 g/L/h (P2). Durante a fermentação do caldo de cana, E. coli KO11 e K. oxytoca P2 produziram, respectivamente, 39,4 g de etanol/L e 42,1 g/L quando suplementado com 0,5% de extrato de levedura, micronutrientes e tiamina. No caldo de cana suplementado com os reagentes do meio LB, KO11 apresentou forte inibição da fermentação alcoólica, produzindo apenas 23,0 g de etanol/L, enquanto que P2 produziu 44,2 g/L. A produção de etanol por KO11 e P2, no caldo de cana suplementado com a) 0,2% de sulfato de amônio foi, respectivamente: 25,3 e 30,2 g/L, b) com sulfato de amônio e micronutrientes: 24,9 e 31,6 g/L, c) com sulfato de amônio, micronutrientes e tiamina: 25,6 e 37,5 g/L. Durante a fermentação do melaço, E. coli KO11 apresentou baixa produção de etanol e alta produção de ácido láctico. K. oxytoca P2 produziu 25 g de etanol/L a partir de melaço diluído 10X em água, com ou sem adição de 0,5% de extrato de levedura e 27,8 g/L com reagentes do caldo LB após 96h. P2 produziu 24,5, 26,9, e 28,0 g de etanol/L em melaço diluído 10X em vinhoto, vinhoto com 0,5% de extrato de levedura e com os reagentes do caldo LB, respectivamente.

Palavras-chave : Escherichia coli KO11; Klebsiella oxytoca P2; Zymomonas mobilis; fermentação da sacarose; fermentação etanólica.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons