SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 issue3Microscopic fungi in the Atlantic Rainforest in Cubatão, São Paulo, BrazilArbuscular mycorrhizal fungi in papaya plantations of Espírito Santo and Bahia, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Microbiology

Print version ISSN 1517-8382On-line version ISSN 1678-4405

Abstract

DODIA, Mital S.; JOSHI, Rupal H.; PATEL, Rajesh K.  and  SINGH, Satya P.. Caracterização e estabilidade de proteases alcalinas extracelulares de bactérias halofílicas e alcalifílicas isoladas de habitat salino de Gujarat, Índia. Braz. J. Microbiol. [online]. 2006, vol.37, n.3, pp.276-282. ISSN 1517-8382.  http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822006000300015.

O presente estudo relata o isolamento e caracterização de bactérias moderadamente halofilicas e alcalífilicas de um habitat salino no oeste da Índia. Oito cepas diferentes de bactérias foram isoladas empregando técnicas de enriquecimento em NaCl a 20% (p/v) e pH 10. As cepas apresentaram diversidade em relação à coloração de Gram e à morfologia das colônias e células. As cepas foram capazes de multiplicar e produzir protease alcalina em uma ampla faixa de concentração de NaCl (5 a 20%) e pH (8 a 10). Nenhuma das cepas foi capaz de se multiplicar em pH 7, e uma não se multiplicou nem em pH 8.0. Proteases naturais e parcialmente purificadas da cepa S5 foram submetidas à caracterização com relação ao pH, estabilidade salina, e estrutura protéica. Atividade e estabilidade ótimas da protease foram obtidas com 10% de sal e pH 9-9,5. A cinética de denaturação da protease de S5, juntamente com uma protease de referencia, foi avaliada com uréia 8M seguida de renaturação. A protease alcalina de S5 foi renaturada a 32% da atividade original. Apesar de provenientes do mesmo local, as oito cepas mostraram grande diversidade em relação à exigência de sal para multiplicação e secreção enzimática. Enquanto o efeito do pH na multiplicação foi menos marcante, o efeito na produção de protease foi significativamente afetada. A cepa S5 produziu uma quantidade substancial de protease alcalina e halotolerante. A atividade e estabilidade da protease alcalina em uma faixa mais ampla de pH e sal tornam essa enzima uma importante candidata para diversas aplicações industriais.

Keywords : halófilos; alcalifilicos; extremofilicos; protease alcalina; estabilidade de protease.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License